Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 21 de junho de 2017. Atualizado às 17h21.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

incêndio

21/06/2017 - 09h21min. Alterada em 21/06 às 17h24min

Incêndio atinge lojas na avenida Azenha e bloqueia trânsito nos arredores

Lojas, localizadas em prédios bastante antigos, não teriam plano de prevenção contra incêndio

Lojas, localizadas em prédios bastante antigos, não teriam plano de prevenção contra incêndio


MARCELO G. RIBEIRO/JC
Stéphany Franco
Atualizada às 10h15.
Um incêndio atingiu cinco lojas localizadas na Avenida da Azenha, na esquina com a rua Oscar Pereira, próximo ao Centro Histórico de Porto Alegre. As chamas, que começaram na madrugada desta quarta-feira (21), por volta das 5h, foram controladas próximo às 7h. O Corpo de Bombeiros ainda trabalha fazendo rescaldo do local.
Em razão do fogo, o trânsito na região teve diversos bloqueios e ainda apresenta problemas e lentidão. Segundo a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), o tráfego está bloqueado no trecho entre a Av. Princesa Isabel e a R. Visconde do Herval. Agentes da EPTC desviam o trânsito pelas avenidas Ipiranga e Erico Verissimo, no sentido centro-bairro. Ao todo, 35 linhas de ônibus que circulam na via foram afetadas.
As lojas atingidas foram Mundo das Flores, Grãos a Granel, Musical Azenha, Boutique Princesa e outra que não possuía a fachada identificada. A boutique e a loja de instrumentos musicais tiveram perdas parciais, as demais sofreram perda total. Segundo informações da Defesa Civil, os estabelecimentos, localizados em prédios bastante antigos, não teriam plano de prevenção contra incêndio (PPCI).
Segundo o agente da Defesa Civil Jorge Brito, a perícia vai apontar as possíveis causas que levaram ao incêndio. Até lá, as lojas permanecerão fechadas. Os proprietários dos estabelecimentos terão que apresentar à Secretaria Municipal de Urbanização um laudo de estabilidade do edifício para comprovar que a estrutura do local não foi afetada pelas chamas.
Proprietário da lotérica vizinha ao local do incêndio, Airton Fredrich afirma que, apesar de sua loja não ter sido atingida pelas chamas, o susto foi grande "Não tivemos prejuízos, só entrou bastante água na lotérica porque os bombeiros precisavam conter o incêndio", relata. De acordo com Airton, todos os documentos para obter o PPCI foram encaminhados pela imobiliária, mas eles ainda não tiveram retorno do corpo de bombeiros.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Rogerio D Maestri 21/06/2017 10h52min
A cada processo recessivo um certo número de lojas prendem fogo, aí recebem o seguro e vão para outro local, isto já ocorreu várias vezes.