Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 15 de junho de 2017. Atualizado às 23h59.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Segurança pública

Notícia da edição impressa de 16/06/2017. Alterada em 15/06 às 22h45min

Manutenção de câmaras frias causa cheiro forte junto ao DML

Caminhão frigorífico foi usado para manter corpos durante ação de limpeza

Caminhão frigorífico foi usado para manter corpos durante ação de limpeza


MARCO QUINTANA/JC
Suzy Scarton
Quem passou em frente ao Departamento Médico Legal (DML), do Instituto-Geral de Perícias do Estado (IGP), na avenida Ipiranga, em Porto Alegre, nesta quinta-feira, certamente sentiu um odor bem mais forte do que o normal, mesmo para o local. Isso porque as câmaras frigoríficas, onde são mantidos os corpos, estavam passando por limpeza, enquanto ocorria a troca de ventiladores e o conserto de um compressor.
Funcionários, que preferiram não se identificar e que estavam no DML quando o Jornal do Comércio foi até lá, confirmaram que o procedimento estava sendo realizado. Um deles também disse que sentir aquele odor é "normal, mas que nunca tinha sido tão forte".
O diretor-geral do IGP, Cleber Müller, esclareceu que uma força-tarefa de limpeza estava sendo realizada nesta quinta-feira. Devido a questões administrativas que envolvem a empresa terceirizada responsável pela higienização do necrotério, 96 cadáveres foram retirados das câmaras frias e armazenados em um caminhão frigorífico enquanto a limpeza era feita.
"Alguns dos corpos estão putrefatos, são de pessoas que não têm familiares e ficam ali muito tempo. O processo de retirada, de passar pelo corredor até chegar ao caminhão, causa esse cheiro desagradável", explicou. Assim que o procedimento terminar, os corpos retornarão às câmaras. A previsão do IGP é que a situação volte ao normal nesta sexta-feira.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia