Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 28 de junho de 2017. Atualizado às 21h36.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

copa sul-americana

Alterada em 28/06 às 21h37min

Chapecoense perde na estreia da Sul-Americana com gol aos 49 minutos do 2º tempo

Chapecoense estreia com revés na competição internacional

Chapecoense estreia com revés na competição internacional


JUAN MABROMATA/AFP PHOTO/JC
Desta vez faltou um pouquinho de sorte à Chapecoense. O time catarinense estreou na Copa Sul-Americana, nesta quarta-feira, em sua segunda fase, com uma derrota dolorosa porque o gol decisivo saiu somente aos 49 minutos do segundo tempo. Atual campeão, o time brasileiro entrou nesta etapa da competição por ter sido eliminado na fase de grupos da Copa Libertadores e arrancava um importante empate por 0 a 0 com o Defensa y Justicia, na partida de ida no estádio Norberto Tomaghello, em Buenos Aires, na Argentina.
Os brasileiros atuaram com um jogador a menos durante praticamente todo o segundo tempo, após a expulsão do volante Andrei Girotto. Com o resultado, a Chapecoense precisa de uma vitória por dois ou mais gols de diferença na partida de volta, no dia 25 de julho, na Arena Condá, em Chapecó (SC), para se classificar no tempo normal. Se devolver o 1 a 0, a vaga vai ser definida nos pênaltis, mas qualquer empate favorece o time argentino.
Em um primeiro tempo bem disputado, as melhores chances saíram de jogadas de bola parada do time argentino e nos contra-ataques dos brasileiros. O goleiro Jandrei foi seguro nas poucas vezes em que foi exigido, enquanto que o lateral-direito Apodi era a principal válvula de escape da Chapecoense, com rápidas investidas ao campo de ataque que só eram contidas com faltas.
Tentando evitar riscos, a Chapecoense atuava com um meio de campo mais defensivo, com Lucas Marques e Lucas Mineiro como titulares, e as defesas prevaleceram até o intervalo.
A partida se complicou para os brasileiros no início da segunda etapa. Andrei Girotto recebeu cartão amarelo aos três minutos e voltou a cometer falta apenas quatro minutos mais tarde, quando recebeu o vermelho e deixou a Chapecoense com um homem a menos.
A vantagem numérica resultou em pressão do time da casa, que abusava dos levantamentos para a área, mas não conseguia levar a melhor sobre a defesa formada por Douglas Grolli e Fabrício Bruno.
Se defendendo como pôde, a Chapecoense segurou o resultado até o último minuto dos acréscimos. Apodi não evitou o cruzamento do seu lado e a bola foi levantada na área. O baixinho Stefanelli se abaixou para desviar a bola para as redes. Não houve mais tempo para nada.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia