Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 22 de junho de 2017. Atualizado às 22h06.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

campeonato brasileiro

Alterada em 22/06 às 22h09min

Ponte Preta derrota o Cruzeiro por 1 a 0 e se aproxima da zona da Libertadores

A Ponte Preta aproveitou o fato de o Cruzeiro jogar com time misto priorizando a Copa do Brasil e, no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas (SP), venceu por 1 a 0, nesta quinta-feira. O time paulista se recupera após duas rodadas sem vencer no Campeonato Brasileiro e, após a nona rodada, volta a brigar pela classificação à Copa Libertadores.
O atacante Lucca, artilheiro da Ponte Preta com seis gols e que deixou a sua marca em todos os jogos em Campinas, foi o autor do gol da vitória. Esta foi a quarta vitória em casa, onde tem 100% de aproveitamento, e a equipe quebra um jejum de seis jogos sem vencer o adversário. O resultado coloca o time paulista no sétimo lugar com 14 pontos. Já o Cruzeiro permanece com 11, como 12.º colocado.
O jogo começou em marcha lenta. Com um time misto, já que prioriza o duelo contra o Palmeiras na próxima semana pelas quartas de final da Copa do Brasil, o Cruzeiro nada fez para ameaçar o goleiro Aranha. Do outro lado, a Ponte Preta, apesar de ter mais posse de bola, não conseguia a infiltração na área.
Até os 30 minutos, nenhum goleiro tinha trabalhado. Fábio não foi exigido nenhuma vez pelo ataque do mandante, já que Lucca, Claudinho e Emerson Sheik pareciam pouco empolgados com o jogo. Até que o lateral-direito Lennon resolveu ajudar o time campineiro. Aos 36 minutos, o cruzeirense atropelou Lucca na área após cruzamento e o árbitro marcou pênalti.
Com gols marcados em todos os jogos no estádio Moisés Lucarelli, o camisa 9 não desperdiçou. Bateu forte no canto direito de Fábio, que ameaçou pular para o outro lado. Com 10 minutos para reagir, o Cruzeiro até tentou se lançar ao ataque, mas não conseguiu igualar o placar antes do intervalo.
O segundo tempo também foi de poucas emoções. O Cruzeiro até tentou pressionar a Ponte Preta nos minutos iniciais. Elber, de fora da área, arriscou um belo chute no alto para uma grande defesa de Aranha, que espalmou. E foi só.
Sem criatividade e com um time misto em campo - até Sidney Lobo, auxiliar de Mano Menezes, esteve à beira do gramado já que o treinador estava suspenso -, o time mineiro não conseguia passar pela marcação da equipe campineira. Tanto que abusou das bolas levantadas para a área. Foram mais de 15 cruzamentos, sem sucesso algum. Nem a entrada de Sassá no lugar de Rafael Marques mudou o panorama, sem contar a contusão de Rafinha, aos 30 minutos, que só fez número em campo porque as três trocas já tinham sido feitas.
Segura na defesa, a Ponte Preta abriu mão de jogar para frente. O time só teve uma chance aos 38 minutos, quando Marllon cabeceou rente à trave de Fábio. Mesmo sem ampliar o placar, segurou o importante resultado. O Cruzeiro caiu em Campinas, como já tinha acontecido antes com Sport (4 a 0), São Paulo (1 a 0) e Chapecoense (3 a 2).
Os dois clubes voltam a campo neste domingo, às 16 horas, pela 10.ª rodada. A Ponte Preta recebe o Palmeiras, novamente no estádio Moisés Lucarelli, enquanto que o Cruzeiro enfrenta o Coritiba, no estádio do Mineirão, em Belo Horizonte.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia