Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 21 de junho de 2017. Atualizado às 23h50.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

campeonato brasileiro

Alterada em 21/06 às 23h50min

São Paulo pressiona até o final, mas perde mais uma vez na Arena da Baixada

Não foi desta vez que o São Paulo conseguiu vencer na Arena da Baixada. O time insistiu o jogo inteiro, mas acabou superado pelo Atlético Paranaense por 1 a 0, em Curitiba, pela nona rodada do Campeonato Brasileiro, e acumula 12 derrotas e cinco empates no estádio desde 1999. Para piorar, foi o quarto duelo seguido no torneio nacional sem vitória.
O gol relâmpago sofrido logo aos 3 minutos tornou o que já era difícil para o São Paulo ainda mais complicado. No escanteio cobrado, Militão deixou Wanderson receber sozinho e o zagueiro conseguiu tocar para o gol de Renan Ribeiro, abrindo o marcador. Com a vantagem, o time da casa recuou e passou a se defender e apostar nos contra-ataques.
O São Paulo então tratou de tentar achar um jeito de furar o bloqueio rival. O técnico Rogério Ceni mexeu um pouco no jeito do time jogar, manteve a posse de bola, mas mesmo assim era difícil levar perigo. O meia peruano Cueva teve duas chances. Na primeira, chutou e a zaga do Atlético Paranaense tirou antes que entrasse no gol. Na outra mandou longe.
Pouco depois, Marcinho cruzou da esquerda e Jucilei cabeceou, mas a bola foi para fora. O Atlético Paranaense estava satisfeito com o resultado e pouco atacava. Teve uma boa chance com Douglas Coutinho, que mandou para o gol, mas Renan Ribeiro espalmou. E no final do período quase fez o segundo quando Lugano recuou mal, tirou o goleiro da jogada, mas a bola foi para fora.
Na etapa final, Rogério Ceni colocou o São Paulo mais à frente, sacando Cícero da equipe e colocando o estreante Denilson, que veio do Avaí. E o atacante apresentou o seu cartão de visitas logo aos 2 minutos, quando chutou da entrada da área e o goleiro Weverton segurou com tranquilidade.
O São Paulo insistiu, pressionou, mas tinha dificuldade de entrar na área e mandar para o gol. Cueva fez linda jogada, mas chutou fraco. Denilson também teve outra chance, mas não acertou E, aos 30 minutos, Rogério Ceni colocou outro estreante, Brenner, de apenas 17 anos, artilheiro nas categorias de base e tendo a sua primeira chance no profissional.
Com cinco atacantes em campo, o São Paulo insistiu em busca do empate. Foi para cima de tudo quanto é jeito e até Lugano virou atacante para tentar levar vantagem no jogo aéreo. Mas a defesa paranaense estava bem postada e conseguiu tirar todos os lances pelo alto. Nos acréscimos, Wellington Nem mandou para fora o que seria o gol de empate. No fim, vitória do Atlético Paranaense e tabu mantido.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia