Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 20 de junho de 2017. Atualizado às 19h47.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

seleção brasileira

Alterada em 20/06 às 19h49min

Tite diz que temeu ficar marcado como técnico que não levou seleção para Copa

Há exatamente um ano o técnico Tite assumia o comando da seleção brasileira. Sob pressão, o treinador desembarcara na nova equipe quando figurava na sexta colocação das Eliminatórias da Copa do Mundo, fora portanto da zona de classificação. Passado o momento tenso e as preocupações, Tite admitiu nesta terça-feira que temeu ficar marcado como o técnico que, pela primeira vez na história, não classificou a seleção para o Mundial.
"Eu sabia que seria desafiador, porém era muito temeroso. Sabia da dificuldade do trabalho, sabia que estaria trabalhando com algo que eu ainda não tinha trabalhado. Trabalhar com atletas durante três dias e colocá-los para jogar num jogo decisivo, numa sequência de jogos decisivos. Eu tinha medo, sim, de ser o técnico que não classificasse o Brasil pela primeira vez para uma Copa do Mundo", reconheceu Tite.
Tite assumiu a seleção no dia 20 de junho de 2016. Estreou no dia 1º de setembro. Mas, neste intervalo, teve apenas três dias de treinos com seus convocados. Mesmo assim, a seleção aplicou 3 a 0 na então embalada equipe do Equador, na altitude de Quito. Como resultado, saiu da sexta para a quarta colocação das Eliminatórias, já dentro da zona de classificação.
"Não adianta dizer que não tinha medo. Claro que o meu trabalho é cercado de otimismo. Mas não posso deixar de considerar todo o envolvimento que existe na situação. Uma coisa é iniciar um trabalho e ter um tempo para desenvolvê-lo, outra é assumir na metade do transcurso e com um grau de dificuldade alta", disse Tite, ao lembrar da tensa estreia na seleção.
De lá para cá, o treinador registrou números surpreendentes no comando da seleção. Faturou oito vitórias seguidas nas Eliminatórias, novo recorde da equipe. Superou a série de cinco triunfos de João Saldanha, em 1969. Com esta sequência, levou o time ao topo da tabela e garantiu a classificação ao Mundial da Rússia por antecipação.
No total, foram 11 jogos no comando da seleção: oito oficiais e três amistosos. Tite acumulou dez vitórias e sofreu apenas uma derrota, para a Argentina, em amistoso disputado neste mês. Foram ainda 29 gols marcados e apenas três sofridos. E 55 jogadores convocados em seis listas
Em clima cada vez mais de Copa do Mundo, Tite e o coordenador-técnico da CBF, Edu Gaspar, vão viajar nos próximos dias para acompanharem as semifinais e a decisão da Copa das Confederações, na Rússia. Lá vão definir eventuais locais que poderão hospedar a seleção no próximo ano.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia