Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 13 de junho de 2017. Atualizado às 11h59.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

Amistoso

Alterada em 13/06 às 12h01min

Sem Messi após bater Brasil, Argentina goleia Cingapura em amistoso na Ásia

Sampaoli escalou o time argentino de forma bastante ofensiva nesta terça (13)

Sampaoli escalou o time argentino de forma bastante ofensiva nesta terça (13)


ROSLAN RAHMAN/AFP/JC
Depois de ter vencido o Brasil por 1 a 0 em amistoso realizado em Melbourne na última sexta-feira (9), quando encerrou a invencibilidade do técnico Tite à frente do time nacional, a seleção argentina goleou Cingapura por 6 a 0, nesta terça (13), na casa da rival, em novo confronto de preparação para as Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018.
Desta vez com uma equipe bastante modificada e sem contar com Lionel Messi, que ajudou a derrotar os brasileiros em jogo no qual teve atuação discreta, a equipe comandada por Jorge Sampaoli encerrou assim de forma positiva a mini excursão que fez pela Oceania e pela Ásia. Os dois confrontos amistosos marcaram o início do trabalho do novo treinador, contratado para o lugar do demitido Edgardo Bauza, e que aproveitou a fragilidade do adversário desta terça para promover uma série de testes na equipe argentina.
Mesmo sem sua formação considerada titular e sem Messi e Higuaín, astros dispensados deste amistoso após enfrentarem o Brasil logo depois do término de suas temporadas europeias com as respectivas camisas de Barcelona e Juventus, Sampaoli escalou o time argentino de forma bastante ofensiva nesta terça, levando a campo um quinteto de frente que contou com Alejandro Gómez, Dybala, Di Maria, Correa e Lanzini.
E atuando contra uma seleção que ocupa hoje apenas a 157ª posição do ranking da Fifa, a Argentina ganhou com facilidade, mas só foi engrenar de vez na etapa final. No primeiro tempo, fez 2 a 0 no placar com gols de Federico Fazio e Joaquín Correa, respectivamente aos 25 e aos 31 minutos.
As duas jogadas que resultaram nos gols foram originadas por jogadas de bola parada. Na primeira delas, o defensor Fazio completou um cruzamento de Alejandro Gómez para as redes. Depois, na segunda, foi a vez de Dybala ser acionado pela direita em cobrança de falta curta e servir para Correa finalizar para o gol.
No segundo tempo, os argentinos ampliaram o placar aos 15 minutos em um chute de fora da área de Alejandro Gómez. E também com um disparo de longa distância Leandro Paredes fez o quarto gol aos 29.
O placar de 4 a 0 parecia já certo, mas no finalzinho o time de Sampaoli marcou mais dois gols. Primeiro aos 45 com Lucas Alarjo após assistência de Di Maria, antes de o próprio atacante argentino do Paris Saint-Germain decretar o 6 a 0 nos acréscimos, aos 48, depois de receber passe de Ignacio Fernández.
Assim, o novo técnico da seleção argentina acumulou duas vitórias, sete gols marcados e nenhum sofrido em suas duas primeiras partidas à frente da equipe nacional, que nesta terça teve apenas Di Maria, Dybala e Biglia em campo entre os jogadores que foram escalados no amistoso contra o Brasil.
Após estes dois amistosos, Sampaoli agora mira as Eliminatórias Sul-Americanas, nas quais a Argentina ocupa um incômodo quinto lugar, posto que hoje obrigaria o país a jogar uma repescagem contra o campeão da Oceania por vaga na Copa de 2018.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia