Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 28 de junho de 2017. Atualizado às 23h51.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado de Capitais

Notícia da edição impressa de 29/06/2017. Alterada em 28/06 às 21h51min

Saída de Renan e setor externo levam o dólar para baixo

Uma confluência de notícias políticas vistas como positivas pelo mercado e com otimismo no exterior levaram o dólar a fechar em queda ontem e romper o importante patamar de R$ 3,30. À tarde, o principal fator que fez com que o dólar renovasse mínimas diversas vezes foi a saída do senador Renan Calheiros (PMDB-AL) da liderança do partido no Senado. Além disso, a perspectiva de aprovação da reforma trabalhista na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) também ajudou no movimento baixista, em dia de fraqueza do dólar mundo afora e recuperação dos preços das commodities.
No mercado à vista, o dólar terminou em baixa de 0,97%, aos R$ 3,2830, menor nível desde 14 de junho (R$ 3,2810). O giro financeiro registrado somou US$ 962,43 milhões.
O mercado de ações teve um pregão ameno ontem, principalmente no período da tarde, quando predominou uma alta moderada e contínua do Índice Bovespa. O cenário internacional foi influência favorável, composta pela valorização das commodities, enfraquecimento do dólar e bolsas operando em terreno positivo.
O Índice Bovespa fechou em alta de 0,56%, aos 62.017 pontos. Os negócios somaram R$ 5,8 bilhões, abaixo da média do mês, em um sinal de retração do investidor.
.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia