Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 27 de junho de 2017. Atualizado às 09h31.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

E-commerce

27/06/2017 - 08h21min. Alterada em 27/06 às 09h32min

Google é multado em 2,4 bilhões de euros por favorecimento em compras online

O grupo multinacional sofre a sanção por abusar de sua posição dominante em buscas na internet

O grupo multinacional sofre a sanção por abusar de sua posição dominante em buscas na internet


LOIC VENANCE/AFP/JC
A Comissão Europeia, órgão de defesa da concorrência da União Europeia, impôs uma multa recorde de € 2,42 bilhões ao Google em decisão divulgada na manhã desta terça-feira (27). Conforme a UE, o grupo multinacional sofre a sanção por abusar de sua posição dominante em buscas na internet para favorecer seu próprio comparador de preços para compras online, o Google Shopping.
"O que o Google tem feito é ilegal sob as normas antimonopólio da União Europeia. Ele nega a outras empresas a oportunidade de competir com seus méritos e inovação", disse a comissária europeia da Competência, Margrethe Vestager, em coletiva de imprensa na sede da UE, em Bruxelas.
Até então, a maior multa aplicada pelo bloco econômico por 'abuso de posição dominante' era de € 1,06 bilhões, imposta em 2009 à fabricante de computadores Intel.
A agência de notícias Reuters havia antecipado nessa segunda-feira (26) a expectativa de que a sentença de uma multa recorde ao Google fosse divulgada hoje pela UE. A receita anual do grupo é estimada em € 67,5 bilhões (U$ 76 bilhões). A investigação sobre favorecimento durou sete anos e foi desencadeada por uma série de queixas de concorrentes, segundo fontes consultadas pela Reuters.
O Google não se manifestou sobre a sanção informada nesta terça, mas já havia afirmado que tem interagido de maneira construtiva com a Comissão Europeia. "Acreditamos que as inovações em compras online adotadas por nós foram boas para compradores, varejistas e concorrentes", reiterou a companhia.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia