Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 26 de junho de 2017. Atualizado às 23h25.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado de Capitais

Notícia da edição impressa de 27/06/2017. Alterada em 26/06 às 21h18min

Dólar testa R$ 3,30 antes da denúncia da PGR contra Temer

O dólar renovou diversas mínimas ontem, seguindo o movimento de realização de lucros que foi induzido pelo ambiente externo, enquanto os investidores aguardavam por novidades no cenário político, com destaque para denúncia que o procurador-geral da República (PGR), Rodrigo Janot, apresentou contra o presidente Michel Temer depois do fechamento do mercado. A moeda americana testou o suporte dos R$ 3,30, tocando o patamar dos R$ 3,29.
Além disso, contribuiu para a devolução dos ganhos no dólar - que acumulavam 3,34% no mês até sexta-feira - a pesquisa Focus, que mostrou nova revisão para baixo nas projeções de inflação.
No exterior, o dólar teve queda generalizada depois que o indicador de encomendas de bens duráveis nos EUA mostrou retração de 1,1% em maio ante abril, bem abaixo da previsão de -0,4%. "Com os indicadores mostrando queda na atividade, fica cada vez mais difícil de o Fed (Federal Reserve, o Banco Central dos EUA) elevar os juros novamente este ano", explicou o diretor da corretora Mirae, Pablo Spyer.
No mercado à vista, o dólar terminou em baixa de 1,18%, aos R$ 3,3016.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia