Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 23 de junho de 2017. Atualizado às 15h31.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Energia

Notícia da edição impressa de 23/06/2017. Alterada em 22/06 às 21h01min

Deputados cobram medidas sobre situação da CEEE-D

Prazo para estatal cumprir meta de sustentabilidade termina no dia 30

Prazo para estatal cumprir meta de sustentabilidade termina no dia 30


FERNANDO C. VIEIRA/FERNANDO C. VIEIRA/DIVULGAÇÃO/JC
Com a assinatura de seis deputados e o apoio declarado de mais dois parlamentares, foi protocolado, nesta quinta-feira, na Comissão de Serviços Públicos da Assembleia Legislativa, um requerimento de convocação do secretário estadual de Minas e Energia, Artur Lemos, e do presidente da Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE), Paulo de Tarso Gaspar Pinheiro Machado. O objetivo é que eles prestem esclarecimentos sobre as medidas que o governo e a CEEE-D estão adotando para reverter os riscos de perda da concessão devido ao descumprimento dos "Parâmetros Mínimos de Sustentabilidade Econômica e Financeira".
Estes parâmetros integram o contrato de concessão assumido pela companhia e seu sócio majoritário, o governo do Estado. Conforme o deputado Adão Villaverde (PT), todas as concessionárias de distribuição de energia elétrica que renovaram as suas concessões junto à União em 2015 assumiram o cumprimento metas técnicas e financeiras, sob pena de perda da concessão no caso de não atingimento de uma das metas pactuadas. "Entretanto, no final do exercício de 2016, verificou-se que não foi cumprida a meta de Sustentabilidade Econômica e Financeira, ou seja, há um significativo déficit financeiro que compromete o funcionamento da empresa e, consequentemente, ameaça a própria concessão dos serviços de distribuição de energia elétrica", alerta Villaverde, acrescentando que contratualmente cabe ao sócio majoritário, o governo gaúcho, cobrir o déficit constatado nos 180 dias subsequentes ou apresentar uma proposta de como resolvê-lo.
No requerimento encaminhado à comissão registra-se ainda que, após auditoria realizada na CEEE-D, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) constatou a situação financeira precária, sem perspectivas de solução nas atuais condições, constituindo passivos junto aos credores. Esta situação permite à Aneel iniciar um processo de intervenção que poderá concluir pela caducidade e perda da própria concessão. No contexto geral, porém, a empresa aumentou investimentos em qualidade dos serviços, aplicando mais de R$ 2 bilhões no ciclo tarifário 2012 a 2016. Em 2015 ficou entre as 10 primeiras empresas, com 78,9 pontos no ISQP (Índice de Satisfação da Qualidade Percebida), conforme a Abradee (Associação de Distribuidores de Energia Elétrica).
Como o prazo para o cumprimento da meta de sustentabilidade econômica e financeira da CEEE-D encerra-se no próximo dia 30 de junho, o pedido de convocação do secretário estadual de Minas e Energia e do presidente da CEEE, que "é urgente e necessário", na avaliação de Villaverde, deve ser apreciado na reunião da próxima sessão da comissão, na próxima quinta-feira, dia 29.
Além de Villaverde, assinam o requerimento Ronaldo Santini, Nelsinho Metalúrgico, Stela Farias, Juliano Roso e Juliana Brizola, com o apoio dos deputados Bombeiro Bianchini e Valdeci Oliveira.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Fabrício Aguirre 23/06/2017 14h48min
Parece típico, prejudicar a empresa para depois justificar a venda.