Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 19 de junho de 2017. Atualizado às 17h21.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Investimentos

19/06/2017 - 16h33min. Alterada em 19/06 às 17h24min

Bndes aprova empréstimos de R$ 1 bilhão para 3 complexos de energia eólica

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (Bndes) anunciou nesta segunda-feira (19) a aprovação de empréstimos que somam no total R$ 1,037 bilhão para três complexos de geração de energia eólica, dos grupos EDF, Enel e Aliança, sociedade da mineradora Vale com a Cemig.
A EDF EN do Brasil contratará empréstimo de R$ 486,4 milhões para a construção dos parques eólicos Ventos da Bahia I, III, IX e XVIII, no município de Mulungu do Morro (BA). O projeto inclui o respectivo sistema de transmissão. Com 53 aerogeradores, o empreendimento terá potência instalada de 116,6 MW, comercializada no Leilão de Energia de Reserva de novembro de 2015, informou o Bndes.
Já a Enel Green Power Brasil terá de R$ 307,8 milhões para implantação dos parques eólicos Delfina III, IV, VI e VII no município de Campo Formoso (BA), e também do sistema de transmissão. O empreendimento, com 48 aerogeradores, terá potência instalada total de 96 MW, cuja energia, segundo o Bndes, será comercializada no mercado livre.
Por fim, a Aliança terá um financiamento de R$ 243,5 milhões para a construção dos parques eólicos Santo Inácio III e IV, Garrote e São Raimundo, em Icapuí (CE). O empreendimento também inclui o sistema de transmissão associado e terá potência instalada de 98,7 MW, todos destinados ao consumo da Vale, segundo o Bndes.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia