Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 16 de junho de 2017. Atualizado às 08h29.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado financeiro

Alterada em 16/06 às 08h29min

Bolsas da Ásia fecham sem sinal único, com mercados da China em baixa

As bolsas da Ásia fecharam sem direção única nesta sexta-feira (16), mas a maioria delas conseguiu registrar altas. Várias praças foram beneficiadas por papéis de exportadoras, diante do fortalecimento do dólar frente a moedas locais, o que eleva a competitividade dessas empresas nos mercados internacionais.
Na Bolsa de Tóquio, o índice Nikkei fechou em alta de 0,56%, em 19.943,26 pontos, após o Banco do Japão (BoJ, na sigla em inglês) manter a política monetária mais relaxada. O Nikkei chegou a operar acima dos 20 mil pontos, durante o pregão japonês.
Já na China o índice Xangai Composto fechou em queda de 0,3%, em 3.123,17 pontos, e o Shenzhen Composto teve baixa de 0,2%, em 1.866,05 pontos. O recuo das praças chinesas ocorreu mesmo após o Banco do Povo da China (PBoC, na sigla em inglês) realizar a maior injeção diária de capital no sistema financeiro local desde meados de janeiro.
O foco dos investidores esteve sobre o Anbang Insurance Group, cujo executivo-chefe teria sido detido por autoridades chinesas. Bancos do país limitavam sua exposição à companhia e reduziram as recomendações de investimento na seguradora para seus clientes, segundo pessoas ligadas ao assunto. Também pesou nas bolsas chinesas hoje um movimento de realização de lucros de papéis de companhias menores. O Xangai Composto recuou 1,1% na comparação semanal.
Em Hong Kong, o índice Hang Seng fechou com ganho de 0,24%, em 25.626,49 pontos. A Bolsa de Hong Kong chegou a subir mais, porém perdeu o fôlego nas horas finais do pregão. Ao longo da semana, o Hang Seng recuou 1,6%, com o setor de tecnologia sob pressão.
Na Bolsa de Seul, o índice Kospi fechou praticamente estável, em alta de 0,01%, em 2.361,83 pontos, após oscilar perto da estabilidade durante o pregão. Nas Filipinas, por outro lado, o índice PSEi, da Bolsa de Manila, fechou em queda de 1,03%, em 7.882,22 pontos. Em Taiwan, por sua vez, o índice Taiex avançou 0,7%, para 10.156,73 pontos, fechando na máxima do dia.
Na Oceania, na Austrália o índice S&P/ASX 200 encerrou o dia em alta de 0,2%, em 5.774,00 pontos. O resultado foi impulsionado por papéis do setor bancário, que compensaram a fraqueza do setor de mineração. Na comparação semanal, o índice teve ganho de 1,7%. Hoje, National Australia Bank puxou o setor bancário para cima, com alta de 0,5%, enquanto a mineradora BHP Billiton caiu 0,1%, após nomear Ken MacKenzie para suceder Jac Nasser como executivo-chefe da empresa.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia