Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 15 de junho de 2017. Atualizado às 17h47.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

conjuntura internacional

Alterada em 15/06 às 17h48min

FMI/Lagarde: em relação a Grécia, foi um passo importante

A diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, abordou o acordo entre Grécia e seus credores, entre eles o Eurogrupo, divulgado nesta quinta-feira. "Foi um passo importante que foi dado hoje. A Grécia entregou as políticas-chave que esperávamos, com progresso na trajetória da dívida, mas ainda é preciso fazer mais", disse, em coletiva de imprensa em Luxemburgo. Ela lembrou ainda de outros avanços importantes na Grécia, com reformas tributária, previdenciária e trabalhista.
Christine explicou que agora o FMI começará, a partir das próximas 24 horas, a acompanhar a implementação do acordo. "Começaremos a trabalhar a proposta da Grécia e estamos prontos para completar o processo de análise de sustentabilidade da dívida até 27 de julho", disse.
Apesar do acordo, Christine frisou que é preciso identificar meios para tornar a dívida grega sustentável no longo prazo. "O acordo permite que as negociações para solucionar a questão da dívida continuem. Seria melhor uma solução final do alívio da dívida, mas ainda não foi possível. Todos concordam que, hoje, a dívida grega é insustentável", avaliou.
Ela admitiu que uma definição final do alívio da dívida da Grécia teria sido melhor. "Esta é a segunda melhor solução. O melhor seria dar clareza à reestruturação da dívida."
De qualquer maneira, o acordo também dá mais tempo em relação à Grécia. "O acordo mantém a perspectiva de solucionar a dívida grega", disse.
A definição entre Grécia e credores permitiu a liberação de 8,5 bilhões de euros ao país e posterga uma decisão final sobre o alívio nos débitos do país até agosto do próximo ano.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia