Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 14 de junho de 2017. Atualizado às 10h45.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

conjuntura

14/06/2017 - 10h38min. Alterada em 14/06 às 10h47min

Alta de 1,0% no volume de serviços em abril é maior desde março de 2016

Taxa acumulada pelo volume de serviços prestados no ano ficou negativa em 4,9%

Taxa acumulada pelo volume de serviços prestados no ano ficou negativa em 4,9%


JONATHAN HECKLER/JC
O volume de serviços prestados teve alta de 1,0% em abril ante março, na série com ajuste sazonal, segundo os dados da Pesquisa Mensal de Serviços, informou nesta quarta-feira, 14, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado foi o melhor desde março de 2016, quando a alta ante o mês imediatamente anterior foi de 1,2%.
A taxa de março ante fevereiro foi revisada de baixa de 2,3% para recuo de 2,6%. O desempenho de março de 2017 ante março de 2016 foi revisto de uma queda de 5,0% para recuo de 5,2%.
Na comparação com abril do ano anterior, houve redução de 5,6% em abril deste ano, já descontado o efeito da inflação. É o pior desempenho nessa base de comparação para meses de abril da série da PMS, iniciada em 2012.
A taxa acumulada pelo volume de serviços prestados no ano ficou negativa em 4,9%, enquanto o volume acumulado em 12 meses registrou perda de 5,0%.
Segundo Roberto Saldanha, analista da Coordenação de Serviços e Comércio do IBGE, como a taxa em 12 meses segue no mesmo nível de queda nos últimos meses, não é possível falar em recuperação do setor de serviços em abril. "O setor é o último a entrar na crise e também é o último a sair", disse Saldanha.
Desde outubro de 2015, o órgão divulga índices de volume no âmbito da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS). Antes disso, o IBGE anunciava apenas os dados da receita bruta nominal, sem tirar a influência dos preços sobre o resultado.
Por esse indicador, que continua a ser divulgado, a receita nominal subiu 0,5% em abril ante março. Na comparação com abril do ano passado, houve queda na receita nominal de 0,4%.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia