Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 13 de junho de 2017. Atualizado às 23h52.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

energia

Notícia da edição impressa de 14/06/2017. Alterada em 13/06 às 23h54min

Petrobras analisa aumentar frequência de reajustes

Preços dos combustíveis são corrigidos mensalmente pela estatal

Preços dos combustíveis são corrigidos mensalmente pela estatal


/JONATHAN HECKLER/JC
O presidente da Petrobras, Pedro Parente, disse nesta terça-feira que a companhia analisa a possibilidade de aumentar a frequência de reajustes no preço dos combustíveis, que hoje é mensal. Segundo ele, a decisão está relacionada à volatilidade do preço do petróleo e, principalmente, do câmbio, que tem tido movimentos de alta e queda mais acentuados em razão da crise política pela qual o País passa.
"É claro que a sistemática atual é muito melhor que a anterior", disse ele em referência ao modelo adotado antes de sua gestão, quando a decisão passava também pelo Ministério da Fazenda. Ele destacou que, embora a frequência de reajustes mensais tenha ajudado, ainda resta a questão da volatilidade dos preços do petróleo e do dólar, que variam diariamente. "Essa é a diferença que estamos pensando em aproximar", disse ao deixar o Ministério de Minas de Energia, após reunião com o ministro Fernando Coelho Filho. Segundo ele, ainda não há uma decisão sobre a questão.
O presidente da Petrobras disse também que a companhia já decidiu incluir a refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos, nos planos de desinvestimento. Segundo ele, ainda não há uma decisão sobre o valor de venda do empreendimento. Ele explicou que esse preço será definido de acordo com os resultados que a refinaria ainda pode gerar e não conforme as perdas que a companhia já teve com Pasadena.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia