Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 09 de junho de 2017. Atualizado às 16h32.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

conjuntura internacional

Alterada em 09/06 às 16h32min

Produção industrial do México recua 0,3% em abril ante março

A produção industrial do México recuou 0,3% em abril ante março, após ajustes sazonais. A piora nos setores de petróleo, mineração e construção se sobrepôs aos ganhos no setor manufatureiro. Na comparação anual, houve queda de 4,4% em abril, segundo o Instituto Nacional de Estatísticas, mas nesse caso o resultado foi afetado pelo feriado de Páscoa, que neste ano resultou em menos dias trabalhados em abril.
O setor manufatureiro, puxado pela produção de veículos, partes de veículos e equipamento eletrônico, manteve-se com força, em alta de 0,6% ante março e de 5,1% na comparação anual, antes dos ajustes sazonais.
A produção de petróleo e gás manteve-se constante em março, mas bem abaixo dos níveis do ano passado, enquanto a atividade do setor de construção piorou, afetada por restrições orçamentárias do governo que afetaram gastos com infraestrutura.
Os resultados de abril apoiam as expectativas de apoio de que o crescimento econômico começará a desacelerar, após um resultado melhor que o esperado no início do ano, já que o consumo privado robusto também tem perdido fôlego.
A produção industrial geral teve baixa de 0,8% nos primeiros quatro meses, na comparação com igual período de 2016.
O Produto Interno Bruto (PIB) mexicano cresceu 3,7% no primeiro trimestre e a previsão do governo e do banco central é de que ele avance 2% neste ano. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia