Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 08 de junho de 2017. Atualizado às 20h39.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Comércio exterior

Alterada em 08/06 às 20h40min

Em visita à Argentina, Merkel diz que UE deve buscar acordo com Mercosul

Angela Mekel durante a visita à Argentina

Angela Mekel durante a visita à Argentina


EITAN ABRAMOVICH / AFP/JC
A Alemanha e a Argentina concordaram em promover o comércio multilateral e lutar contra as mudanças climáticas, de acordo com a chanceler alemã, Angela Merkel, que visitou hoje o país vizinho. Ela também afirmou que a União Europeia (UE) deve se comprometer com um acordo com o Mercosul.
A chanceler disse que as negociações comerciais são "duras" e que há "bastante trabalho pela frente". Ela admitiu inclusive que a Alemanha não tem sido às vezes "fácil", no que se refere ao protecionismo agrícola. "Mas quando há vontade de concluir um acordo há bons motivos para fazer isso", afirmou.
Merkel vai visitar a América Latina em uma série de viagens antes da reunião de julho do grupo das 19 maiores economias do planeta mais a UE, o G-20. Ela tem criticado a política protecionista dos Estados Unidos e disse que a decisão do presidente Donald Trump de retirar o seu país do acordo climático de Paris era "extremamente lamentável".
Em uma coletiva de imprensa com o presidente argentino, Mauricio Macri, Merkel disse que as duas nações querem fazer parte de um "mundo interconectado" e estão comprometidos em defender o Acordo de Paris.
"Ninguém nesse mundo - indivíduo ou nação - pode resolver todos os problemas sozinho", disse. "Precisamos trabalhar todos juntos e nós dois advogamos por um mundo livre e aberto no qual queremos moldar a globalização de uma maneira humana", completou
Merkel elogiou o potencial da Argentina para o desenvolvimento de fontes renováveis e disse que a Alemanha pode usar sua experiência para desenvolvê-las. Ela também disse que a UE deve se comprometer em firmar um acordo com o Mercosul.
No ano passado, a Alemanha colocou a Argentina como seu quarto maior parceiro comercial, atrás de Brasil, China e Estados Unidos. Merkel realizou a primeira entrevista de um líder alemão ao país em 15 anos.
Mais tarde, durante visita ao Polo Científico e Tecnológico, Merkel pediu aos países da região que "não interrompam os esforços em busca de uma saída pacífica" da crise política na Venezuela.
Os argentinos perderam para os alemães na final da Copa do Mundo de 2014, no Brasil. Macri, que já foi presidente do Boca Juniors, disse que espera que os dois países se reencontrem na final da copa da Rússia, em 2018. "Espero que a Argentina ganhe", afirmou. Merkel riu e disse que até aquele momento eles concordaram com tudo, menos com isso.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia