Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 22 de junho de 2017. Atualizado às 23h42.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Roberto Brenol Andrade

Palavra do Leitor

Notícia da edição impressa de 23/06/2017. Alterada em 22/06 às 20h18min

Dívida dos estados

Em relação à matéria Senado reduz exigências para renegociação de dívidas de estados e municípios (Jornal do Comércio, 21/06/2017), as medidas "beneficiam" os estados do Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Minas Gerais, que devem 2,32, 2,13 e 2,03 da Receita Corrente Líquida. Em seguida é São Paulo, com 1,75. Em vez de combaterem as causas que levaram ao endividamento, abrem a porta para mais endividamento. Depois ficam se queixando da União. Mais dívidas são mais juros e, portanto, menos serviço à população ou mais impostos. Acabaram de gastar um pedaço importante da Lei de Responsabilidade Fiscal. (Darcy Francisco Carvalho dos Santos, economista, Porto Alegre)
Pouca memória
Pena que o povo brasileiro tenha memória fraca, sobretudo na política. Sequer lembra em quem votou e por que escolheu aquele candidato(a). Tivéssemos melhor memória, talvez lembrássemos o que afirmou a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) na tarde de 21/06/2005, quando assumiu a Casa Civil do hoje novo inquilino da Lava Jato e então presidente, Luiz Inácio Lula da Silva (PT): "Eu não convivo com a corrupção", acrescentando: "Não convivo com gente corrupta dentro da máquina pública, pois a ética pública - prosseguiu - é uma exigência de boa gestão e um pré-requisito da democracia". Está nos arquivos, é só procurar para lembrar. (Sérgio Becker, Porto Alegre)
ConectCar
Pago o ConectCar há alguns anos, e sempre tudo funcionou bem. Menos a partir do final de 2016 e início de 2017, até esta data. Na ida para a Serra Gaúcha, Gramado e Canela, não funciona mais para o meu carro. Na freeway, só quando o operador da cabine lê a placa e coloca no computador. Antes, era passagem automática, com a leitura do equipamento. E tenho crédito, sempre recarrego o sistema periodicamente. O que está havendo? (Rodrigo Bernardes, Porto Alegre)
Trânsito
Outro massacre no trânsito, desta vez no Espírito Santo, com 21 mortos no local, colisão entre caminhão, ônibus e ambulâncias. O Brasil deve ser um dos campeões mundiais de mortes ditas "por acidentes". Para mim, atos quase criminosos, pela maneira como muitos dirigem. (Julieta Spondori, São Leopoldo/RS)
Graduações e postos
Vejo, em muitas notícias, o emprego da palavra graduação para indicar oficias das Forças Armadas. Sei que não é importante para civis, mas militares têm graduações, até subtenente ou suboficial, e postos, para tenentes em diante. Logo, não temos um "graduado como capitão". Ele tem o posto de capitão, como de major, coronel e assim por diante. Um sargento, sim, é graduado, não tem posto. (Marcos de Ávilla)
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia