Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 23 de maio de 2017. Atualizado às 20h25.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

câmara dos deputados

Alterada em 23/05 às 20h28min

Oposição quebra acordo e obstrui votação de MP que autoriza saques do FGTS

Deputados da oposição quebraram acordo e decidiram obstruir a votação da medida provisória (MP) que autorizou o saque do dinheiro de contas inativas do FGTS. Segundo opositores, trata-se de um obstrução política em protesto pela renúncia ou cassação do presidente Michel Temer e convocação de eleições diretas para Presidência da República.
No início da votação, a maioria dos deputados da oposição não fez obstrução. Após reclamação de outros partidos opositores, como PSOL, parlamentares do PT, PDT e PCdoB começaram a obstruir os trabalhos, com requerimentos de adiamento de votação, retirada de pauta, dentre outros. Apesar da obstrução, a oposição promete votar a favor do mérito da MP, por se tratar de uma matéria com apelo popular.
A MP perde a validade no próximo dia 1º de junho. A medida prevê um calendário de liberação dos recursos de acordo com a data de aniversário. Até agora, já foram liberados recursos de nascidos entre janeiro e agosto. Caso a medida não seja aprovada pela Câmara e Senado antes de caducar, trabalhadores nascidos entre setembro e dezembro perderão o direito de sacar os recursos.
A MP autoriza o saque de contas inativas do fundo, desde que o afastamento do emprego tenha ocorrido antes de 31 de dezembro de 2015. O governo espera que os saques injetem pelo menos R$ 29 bilhões na economia brasileira. A Caixa Econômica Federal informou que, até 16 de maio, já liberou R$ 24,4 bilhões para trabalhadores nascidos entre janeiro e agosto, 84,3% do total inicialmente previsto.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia