Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 23 de maio de 2017. Atualizado às 13h56.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Governo Federal

23/05/2017 - 14h01min. Alterada em 23/05 às 14h02min

PSDB-SP recua sobre rompimento com Temer, mas apoia FHC em indiretas

Após o governador Geraldo Alckmin (PSDB) declarar nesta segunda-feira (22), que "não seria correto com o País" o PSDB deixar o governo federal, o diretório paulista do partido recuou e preferiu "não decidir" sobre rompimento com o presidente Michel Temer.
Há na base do PSDB uma forte pressão para que a cúpula deixe o governo e entregue os cargos do partido. Os diretórios do Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro já romperam com Temer. A crise foi o tema de uma reunião na noite de segunda-feira no diretório, que reuniu o principais quadros do partido. A expectativa era que os paulistas seguissem o mesmo caminho, mas o movimento foi barrado por Alckmin.
"Decidimos não decidir. Vamos esperar uma decisão do (diretório) nacional", disse o deputado estadual Pedro Tobias, presidente do braço paulista do PSDB.
Em consonância com o Palácio dos Bandeirantes, Tobias também declarou voto no ex-presidente Fernando Henrique Cardoso em caso de eleição indireta e relatou que esse é o sentimento majoritário com o partido no estado. "Meu candidato em caso de eleições indiretas é o FHC. Há quase uma unanimidade no partido em São Paulo", disse.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia