Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 22 de maio de 2017. Atualizado às 15h20.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

reforma da previdência

22/05/2017 - 15h23min. Alterada em 22/05 às 15h24min

Crise deve atrasar agenda de reformas 'em semanas', diz Meirelles a investidores

A crise política deflagrada na semana passada pode atrasar a agenda econômica de reformas "em algumas semanas". A avaliação foi feita pelo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, em teleconferência com investidores e clientes do banco JP Morgan. Na teleconferência em inglês, o ministro foi questionado se eventual atraso na tramitação das reformas no Congresso seria em "semanas ou meses". "Minha opinião é em termos de semanas", disse ao investidor.
Durante a fala inicial, o ministro da Fazenda reconheceu que a crise política pode "mudar a programação da reforma da Previdência", mas Meirelles repetiu discurso já feito em outras ocasiões de que o importante é a aprovação do tema.
"O ponto principal é que (a reforma) vai mostrar os resultados", disse o ministro, ao comentar que muita gente o questiona sobre eventual atraso de um ou dois meses. "Na verdade, o importante é a confiança de que será aprovado."
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia