Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 15 de maio de 2017. Atualizado às 23h26.

Jornal do Comércio

Política

CORRIGIR

Eleições 2018

Notícia da edição impressa de 16/05/2017. Alterada em 15/05 às 21h43min

'Não sou candidato', afirma Doria em Nova Iorque

No momento em que seu nome surge como possível aposta do PSDB em 2018, o prefeito de São Paulo, João Doria Júnior, afirmou nesta segunda-feira, durante um evento em Nova Iorque, que não é candidato a presidente da República nem a governador de São Paulo. As declarações de Doria foram dadas a uma plateia de empresários e acadêmicos no seminário Brasil e a Economia Mundial, da Fundação Getúlio Vargas (FGV), no Harvard Club.
"Quero deixar claro que eu não sou candidato a presidente da República, não sou candidato a governador, sou candidato a ser um bom prefeito da cidade de São Paulo, para isso fui eleito", disse o prefeito.
Embora tenha afastado a possibilidade de disputar eleições no ano que vem, João Doria aproveitou seu discurso para tratar de temas nacionais, como as reformas política, previdenciária e trabalhista, que tramitam no Congresso.
"Sou contra a reeleição e desde o início tenho deixado claro. Acho um mal para o Brasil, defendo, se possível no ano que vem, a reforma política para acabar com a reeleição, (implementar) mandato de cinco anos e se possível uma reeleição a cada cinco anos, aos poderes Legislativo e Executivo, e parar de sangrar o País como acontece a cada dois anos com campanhas custos despesas mobilização, paralisação da administração pública", criticou.
Além da reeleição, Doria disparou contra a contribuição obrigatória sindical, cujo fim está previsto na reforma trabalhista proposta pelo governo do presidente Michel Temer (PMDB).
 

Alckmin diz que está preparado para ser o candidato do PSDB

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, afirmou estar preparado para ser o candidato do PSDB à eleição presidencial de 2018. Alckmin, contudo, ressaltou que ainda é cedo para tratar das eleições. "Ocorrem em ano par e estamos em ano ímpar", que é, segundo ele, muito importante para o País, pois várias reformas estruturais precisam ser aprovadas pelo Congresso, como a trabalhista, a da Previdência Social e a política. "Estou preparado", disse.
O governador ressaltou que defende não só prévias dentro do partido, como também eleições primárias, a exemplo do que ocorre nos Estados Unidos. "Ainda é cedo para tratar de eleição em 2018, mas preparação é importante e nada é feito de improviso". Ele fez os comentários após participar de evento com investidores que celebra os 15 anos de negociações dos ADRs de Sabesp na Nyse.
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia