Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 09 de maio de 2017. Atualizado às 22h35.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

senado

09/05/2017 - 21h56min. Alterada em 09/05 às 22h35min

Votação da PEC do fim do foro no Senado é adiada; proposta volta para CCJ

Uma emenda apresentada pelo senador Roberto Rocha (PSB-MA) no plenário do Senado nesta terça-feira (9), adiou em uma sessão a discussão da Proposta de Emenda à Constituição que acaba com o foro privilegiado para todas as autoridades, com exceção dos chefes dos Três Poderes. A proposta voltará para apreciação da Comissão e Constituição e Justiça (CCJ), antes de seguir novamente para votação em segundo turno no plenário.
O presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), se comprometeu a conversar com o presidente da CCJ, Edison Lobão (PMDB-MA), para que ele se manifeste sobre a questão ainda nesta quarta-feira (10). Desta forma, seria possível submeter a decisão da CCJ ao plenário e realizar a terceira e última sessão de discussão da PEC no mesmo dia. Caso não haja quórum, o objetivo do presidente do Senado é terminar a votação até a próxima terça (16).
A emenda de Rocha propõe a criação de varas especializadas para julgamento de autoridades por crimes comuns. Para o relator da PEC, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), a emenda apresentada por Rocha entra em "rota de colisão frontal" com o texto já aprovado em primeiro turno. Durante a sessão, ele apresentou um pedido de rejeição da emenda, que foi aceito por Eunício. Rocha, então, conseguiu aprovar um recurso pela aprovação de sua proposta.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia