Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 02 de maio de 2017. Atualizado às 10h59.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Operação Lava Jato

02/05/2017 - 11h00min. Alterada em 02/05 às 11h01min

Eike Batista continua afastado da gestão das empresas do Grupo X

Brazilian businessman Eike Batista (2-R) is escorted as he leaves the Federal Police headquarters after a hearing in Rio de Janeiro, Brazil on February 8, 2017. 
Brazil's former richest man, Batista, was jailed last week on charges of corruption, money laundering and criminal organization.  / AFP PHOTO / Mauro PIMENTEL

Brazilian businessman Eike Batista (2-R) is escorted as he leaves the Federal Police headquarters after a hearing in Rio de Janeiro, Brazil on February 8, 2017. Brazil's former richest man, Batista, was jailed last week on charges of corruption, money laundering and criminal organization. / AFP PHOTO / Mauro PIMENTEL


MAURO PIMENTEL /AFP/JC
O empresário Eike Batista continua afastado da gestão das empresas do Grupo X, conforme comunicados de MMX, OSX e CCX enviados ao mercado na manhã desta terça-feira (2). Outras medidas cautelares a serem cumpridas por Batista durante a sua prisão domiciliar são proibição de manter contato com qualquer pessoa que seja ré ou investigada pela Operação Lava Jato e "levantamento permanente dos sigilos telefônico e telemático, enquanto durar a medida cautelar".
As empresas dizem que estão conduzindo as suas atividades no curso normal dos seus negócios e que não há repercussão nos negócios, uma vez que são "temas de ordem pessoal" de Eike Batista, que atualmente não exerce função administrativa nem ocupa posição em diretoria, conselho ou quaisquer órgãos com funções técnicas ou consultivas, explica o comunicado.
Eike Batista estava preso preventivamente desde 30 de janeiro no âmbito da Operação Eficiência, da Polícia Federal e foi solto neste final de semana após habeas corpus concedido pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes em 28 de abril e determinação de medidas cautelares para prisão domiciliar pelo juiz federal Gustavo Arruda Macedo, do 16º Juizado Especial Federal do Rio de Janeiro, no dia seguinte.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia