Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 28 de maio de 2017. Atualizado às 22h51.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Terrorismo

Notícia da edição impressa de 29/05/2017. Alterada em 28/05 às 20h24min

Reino Unido mantém caça a cúmplices de ação em Manchester

Agentes com metralhadoras fizeram a segurança da Great Manchester Run

Agentes com metralhadoras fizeram a segurança da Great Manchester Run


JON SUPER/JON SUPER/AFP/JC
A caça aos responsáveis pelo atentado suicida que matou 22 pessoas e deixou mais de 70 feridos em Manchester continua em andamento, afirmou ontem o ministro britânico do Interior, Amber Rudd. A polícia diz que mil pessoas estão trabalhando na investigação, tentando localizar os cúmplices de Salman Abedi e reconstruir seus movimentos nos dias anteriores ao ataque.
Ontem, a polícia britânica prendeu um homem de 25 anos por suspeita de atos terroristas. Outros 11 homens, com idades entre 18 e 44 anos, também estão sob custódia.
Abedi, um britânico de 22 anos, descendente da Líbia, se explodiu, matando 22 pessoas no dia 22 de maio na saída do show da cantora pop norte-americana Ariana Grande. A polícia tem 11 suspeitos sob custódia - incluindo o irmão mais velho de Abedi, Ismail. Outro irmão e pai de Abedi foram detidos na Líbia.
Segundo o ministro, os membros da rede que ajudou Abedi ainda podem estar em liberdade. "A operação ainda está em pleno andamento", disse. No sábado, a Grã-Bretanha reduziu seu nível de ameaça de terrorismo de "crítico" para "severo", depois que a polícia informou ter desmantelado uma grande parte da rede da Abedi.
A polícia divulgou imagens de Abedi obtidas por câmeras de vigilância na noite do ataque e apelou para obter mais informações sobre seus últimos dias. As autoridades informaram que ele voltou da Líbia para o Reino Unido em 18 de maio, e provavelmente completou a montagem de sua bomba em um apartamento alugado no Centro de Manchester.
A segurança permanece alta em grandes eventos no Reino Unido. Ontem, durante a corrida Great Manchester Run, era possível ver policiais fortemente armados com metralhadoras para proteger participantes e espectadores.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia