Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 22 de maio de 2017. Atualizado às 15h20.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

ESTADOS UNIDOS

Alterada em 22/05 às 15h22min

Precisamos enfrentar ameaça do regime do Irã na região, diz Trump em Israel

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, falou nesta segunda-feira ao lado do primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, durante visita a Jerusalém. Nas declarações da dupla à imprensa, Trump afirmou que é preciso "enfrentar a ameaça do Irã na região". Já Netanyahu disse que é preciso "conter a ambição do Irã de se tornar um Estado nuclear".
Trump disse que era uma "honra" ser recebido pelo seu "amigo" Netanyahu, defendendo que os EUA desejam que Israel tenha "uma paz duradoura". "Haverá um renovado esforço pela paz entre israelenses e palestinos", afirmou Trump. Segundo ele, esse processo de paz "não é fácil, mas creio que chegaremos lá". Netanyahu, por sua vez, disse que está mais encorajado com essa possibilidade: "Pela primeira vez na minha vida, vejo verdadeira esperança por mudança para a paz."
O presidente americano também reafirmou seu compromisso com o combate ao terrorismo. Comentando a parada anterior de sua viagem, Trump disse ter se sentido "encorajado" com o apoio da Arábia Saudita no combate ao terror.
Netanyahu disse que era "uma honra receber Trump em Jerusalém". Durante a campanha presidencial, Trump disse que mudaria a embaixada americana em Israel de Tel-Aviv para Jerusalém, porém essa mudança seria polêmica, já que os palestinos querem Jerusalém Oriental como parte de seu futuro Estado independente. Por ora, não foi tomada uma decisão final sobre o assunto. O premiê israelense comentou também o fato de que Trump foi o primeiro presidente no cargo a visitar o Muro das Lamentações. "Agradeço Trump por seu forte compromisso com nosso país", disse Netanyahu, que também agradeceu Trump por sua posição de "retomar a liderança dos EUA no Oriente Médio". A autoridade também agradeceu Trump por sua "decisão firme contra o uso de armas químicas na Síria", em referência às sanções que Washington impôs em reação a um ataque aparentemente com armas químicas atribuído ao regime do presidente Bashar al-Assad.
Trump disse que tanto o rei saudita, Salman, como Netanyahu compartilham com o governo americano as preocupações com o Estado Islâmico e a ameaça do extremismo em geral. Segundo o presidente dos EUA, é preciso "erradicar a ideologia violenta" de extremistas pelo mundo.
Netanyahu disse ainda que conversou com Trump sobre temas como "desregulação" e "economia", sem entrar em detalhes.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia