Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 05 de maio de 2017. Atualizado às 13h24.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Conjuntura Internacional

05/05/2017 - 12h50min. Alterada em 05/05 às 13h24min

Japão, China e Sudeste Asiático discutem como evitar crises financeiras

Ministros das Finanças e presidentes de bancos centrais discutiram revisões na Iniciativa Chiang Mai

Ministros das Finanças e presidentes de bancos centrais discutiram revisões na Iniciativa Chiang Mai


KIMIMASA MAYAMA/AFP/JC
Importantes lideranças do setor financeiro da Associação de Nações do Sudeste Asiático (Asean, na sigla em inglês) se reuniram com autoridades de Japão, China e Coreia do Sul nesta sexta-feira (5) para discutir maneiras de melhorar a cooperação relativa a crises financeiras.
Em uma reunião em Yokohama, ministros das Finanças e presidentes de bancos centrais discutiram revisões na Iniciativa Chiang Mai, um acordo multilateral de swap cambial estabelecido como uma rede de proteção em momentos de turbulência financeira. A iniciativa foi estabelecida após o forte queda do baht da Tailândia em 1997 gerar uma crise financeira regional.
Vinte anos após a crise financeira asiática e dez anos depois do início da crise global, líderes financeiros buscam maneiras de minimizar riscos e fortalecer seus sistemas financeiros.
Um comunicado afirmou que o Japão propôs durante o encontro que um fundo baseado em ienes seja criado para prover até US$ 40 bilhões no âmbito dos acordos de swap cambial bilaterais já existentes.
Também nesta sexta-feira, o Japão firmou um acordo bilateral de swap de até US$ 3 bilhões com a Tailândia e chegou a um acordo sobre uma iniciativa similar com a Malásia.
Em reunião "trilateral" separada, Japão, China e Coreia do Sul concordaram em cooperar para evitar turbulências financeiras causadas por riscos geopolíticos e para conter o protecionismo comercial.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia