Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 24 de maio de 2017. Atualizado às 20h12.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

protestos

Alterada em 24/05 às 20h14min

Convocação do Exército remete aos 'anos de chumbo da ditadura', diz PT

Folhapress
Em nota publicada no início da noite desta quarta-feira (24), presidente do PT, Rui Falcão, afirmou que a decisão do Planalto de recorrer às Forças Armadas depois dos protestos em Brasília é "desnecessária e desmedida".
"Ela nos remete a retrocessos típicos dos anos de chumbo da ditadura militar", escreve o petista.
Centrais sindicais e movimentos de esquerda de diversos marcham em Brasília nesta quarta (24) contra Michel Temer e as reformas da Previdência e trabalhista.
Depois de confrontos e depredações, as Forças Armadas foram convocadas para controlar a situação na Esplanada dos Ministérios.
Foram incendiados prédios de ministérios.
Em entrevista, o ministro da Defesa, Raul Jungmann, justificou a convocação das Forças Armadas e classificou como "baderna" e "descontrole" os episódios de vandalismo e depredação em protesto em Brasília. Disse que a manifestação "degringolou para violência, vandalismo, desrespeito, agressão e ameaça".
Segundo Falcão, "o governo golpista e ilegítimo de Michel Temer descortinou hoje sua face mais autoritária e antidemocrática", ao "patrocinar um ataque violento contra manifestantes que se reuniram pacificamente".
"A demonstração de força foi totalmente injustificada e covarde."
Na nota, o partido reafirma sua posição contrária às reformas e defende a convocação de eleições diretas. "O dia de hoje sacramentou o fim do governo ilegítimo do golpista Michel Temer".
O deputado federal Reginaldo Lopes (PT-MG) pediu ao Congresso que suspenda o decreto que convoca as Forças Armadas para atuar em Brasília.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia