Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 12 de maio de 2017. Atualizado às 11h24.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

gente

12/05/2017 - 11h24min. Alterada em 12/05 às 11h27min

Antonio Candido morre em São Paulo aos 98 anos

Candido ganhou vários prêmios importantes da literatura como o Prêmio Jabuti, em duas edições

Candido ganhou vários prêmios importantes da literatura como o Prêmio Jabuti, em duas edições


MARCOS SANTOS/USP/DIVULGAÇÃO/JC
Agência Brasil
O escritor, crítico literário e sociólogo, Antonio Candido, morreu à 1h40min da madrugada desta sexta-feira (12), aos 98 anos, e seu corpo está sendo velado no Hospital Albert Einstein, em cerimônia que prossegue até as 17h. O hospital não informou a causa da morte.
Nascido no Rio de Janeiro, em 24 de julho de 1918, o intelectual era professor emérito da Faculdade de Filosofia e Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da Universidade de São Paulo (USP) e ganhou vários prêmios importantes da literatura como o Prêmio Jabuti, em duas edições, de 1965 e de 1993; também o prêmio Juca Pato, em 2007; o Prêmio Machado de Assis, em 1993, e o Prêmio Internacional Alfonso Reyes.
Entre as suas obras estão a Formação da Literatura Brasileira: momentos decisivos, 1959; O observador literário, 1959; Tese e antítese: ensaios, 1964; Os parceiros do Rio Bonito: estudo sobre o caipira paulista e a transformação dos seus meios de vida, 1964; Literatura e sociedade: estudos de teoria e história literária, 1965; O estudo analítico do poema, 1987; O discurso e a cidade, 1993; Vários escritos, 1970 e Formação da literatura brasileira, 1975.
Antonio Candido deixa as filhas Laura de Mello e Souza e Marina de Mello e Souza.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia