Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 05 de maio de 2017. Atualizado às 16h14.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

justiça

05/05/2017 - 16h12min. Alterada em 05/05 às 16h16min

Para advogado, possibilidade de Neymar ser preso na Espanha é 'nula'

Mesmo que o atacante do Barcelona seja condenado por corrupção de particulares, a chance de ser preso é zero

Mesmo que o atacante do Barcelona seja condenado por corrupção de particulares, a chance de ser preso é zero


PAU BARRENA/AFP/JC
Folhapress
Embora a data da audiência não tenha sido definida, Neymar e seus pais devem ser julgados pela Justiça espanhola ainda neste ano. Mesmo que o atacante do Barcelona seja condenado por corrupção de particulares, a chance de ser preso é zero. As avaliações são feitas pelo seu advogado, Davi Tangerino.
A pena máxima seria, caso seja condenado, seria de dois anos de prisão.
"Os advogados espanhóis estimam que se houver uma condenação, seja de seis meses a um ano. As leis da Espanha determinam que réus primários condenados a até quatro anos têm pena suspensa. A chance de prisão é nula", disse à Folha o advogado brasileiro do atacante da seleção.
Nesta quarta (4), o juiz José de la Mata absolveu o jogador, seus pais e a empresa N&N Consultoria Esportiva Empresarial - que pertence à família do atleta - de fraude. Mas eles terão de pagar cerca de R$ 730 mil até o início da próxima semana para terem o direito de se defender da acusação de corrupção de particulares.
Barcelona e Santos terão de depositar cerca de R$ 15 milhões para se defenderem da acusação de fraude. Também terão de pagar multas no caso o ex-presidente santista Odilio Rodrigues Filho, e os ex-dirigentes do Barcelona Alexandre Rosell Feliu e Josep Maria Bartolomeu I Floreta.
"Na decisão, o juiz chama o caso de 'esquizofrênico'. [Para condená-lo por corrupção] A Justiça teria de considerar que os 40 milhões de euros que o Neymar recebeu como suborno. E já foi considerado pela própria Justiça que foi salário. Como pode ser propina? So se o Neymar soubesse que seria vendido pelo Santos ao Barcelona. Senão seria uma ilusão", defende Tangerino.
José da la Mata já havia determinado o arquivamento do processo, que foi reaberto após recurso do Ministério Público da Espanha e da DIS. Os 40 milhões de euros foram pagos pelo Barcelona a Neymar e seus pais em 2012, quando ele ainda era jogador do Santos.
Se for absolvido, Neymar receberá de volta os R$ 730 mil depositados. Se acontecer a condenação, esta quantia e mais o que for determinado pela Justiça será paga ao governo do país. A DIS poderá receber apenas o dinheiro de eventuais condenações no caso de fraude.
Inicialmente, a empresa havia pedido que cada acusado pagasse oito milhões de euros (R$ 28 milhões em valores atuais).
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia