Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 31 de maio de 2017. Atualizado às 14h08.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

varejo

31/05/2017 - 14h03min. Alterada em 31/05 às 14h09min

Vendas dos supermercados têm alta real de 4,06% em abril ante março, aponta Abras

Na avaliação da entidade, o aumento nas vendas já era esperado devido à Páscoa

Na avaliação da entidade, o aumento nas vendas já era esperado devido à Páscoa


ANTONIO PAZ/ARQUIVO/JC
As vendas do setor supermercadista apresentaram alta de 4,06% em valores reais no mês de abril deste ano, na comparação com o mês anterior. Em relação a abril de 2016, a alta foi de 6,27%. Com o resultado, o setor acumula alta de 0,50% de janeiro a abril frente ao mesmo período de 2016, de acordo com o Índice Nacional de Vendas da Associação Brasileira de Supermercados (Abras), divulgado nesta quarta-feira (31).
Em valores nominais, as vendas do setor em abril registraram alta de 4,20% em relação ao mês de março e, quando comparadas a abril do ano anterior, a alta foi de 10,65%. No acumulado do ano, as vendas cresceram 5,25%.
Na avaliação da entidade, o aumento nas vendas já era esperado devido à Páscoa. "No acumulado do ano, verificamos que o setor já começa a dar um leve sinal de crescimento. A inflação tem diminuído, o que favorece o poder de compra, mas o País continua vivendo uma instabilidade econômica e política, ainda com elevada taxa de desemprego, o que impacta diretamente na renda da população”, afirma o presidente da ABRAS, João Sanzovo Neto, em nota.
As maiores altas de preço no mês de abril foram registradas em produtos como tomate, batata, farinha de mandioca e cebola. Já as maiores quedas foram no óleo de soja, desinfetante, feijão e leite em pó integral.
Em abril, três regiões apresentaram alta: Sudeste (2,38%), Sul (2,06%) e Centro-Oeste (0,69%). As maiores quedas foram registradas no Nordeste (-0,14%) e na Região Norte (-0,12%).
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia