Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 30 de maio de 2017. Atualizado às 08h14.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Alterada em 30/05 às 08h15min

Bolsas asiáticas recuam, com liquidez afetada por feriados na China e Hong Kong

As bolsas asiáticas fecharam com tom negativo nesta terça-feira (30), com a liquidez ainda reduzida em meio a feriados na China, Hong Kong e Taiwan. Em Tóquio, o índice japonês Nikkei ficou praticamente estável pelo segundo pregão consecutivo, com baixa marginal de 0,02%, a 19.677,85 pontos, mas o fortalecimento do iene ante o dólar durante a madrugada pesou em ações de exportadoras.
Segundo analistas, a demanda por iene cresceu diante de incertezas geradas por problemas no pacote de ajuda à Grécia e por pesquisas de intenção de voto que mostram liderança mais apertada do Partido Conservador da primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, antes da eleição geral do dia 8 de junho.
Feriados mantiveram as bolsas da China continental e de Taiwan fechadas pelo segundo dia seguido. O mercado de Hong Kong também não operou hoje, em função de um feriado. Como resultado, a liquidez em outras partes da Ásia ficou restrita.
Em Seul, o índice sul-coreano caiu 0,39% nesta terça, a 2.343,68 pontos, enquanto em Manila, o filipino PSEi recuou 0,32%, a 7.860,77 pontos.
Na Oceania, a bolsa da Austrália se recuperou parcialmente da sessão anterior - quando atingiu o menor patamar em nove semanas -, ajudada por ações de grandes bancos e de mineradoras. O índice S&P/ASX 200 avançou 0,2% em Sydney, a 5.717,90 pontos.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia