Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 29 de maio de 2017. Atualizado às 08h01.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Habitação

Notícia da edição impressa de 29/05/2017. Alterada em 29/05 às 08h03min

Feirão da Caixa atrai cerca de 10 mil pessoas

Unidades ofertadas variaram de R$ 100 mil a R$ 3 milhões

Unidades ofertadas variaram de R$ 100 mil a R$ 3 milhões


MARCO QUINTANA/JC
Jefferson Klein
Apesar do frio e da chuva nos últimos dias em Porto Alegre, o Feirão Caixa da Casa Própria, que começou na sexta-feira e foi encerrado neste domingo, no Centro de Exposições da Fiergs, foi considerado bem-sucedido. Em torno de 10 mil visitante passaram pelo evento deste ano. O volume financeiro movimentado foi semelhante ao da edição anterior, R$ 1,06 bilhão em negócios finalizados. Ao todo, foram cerca de 6,2 mil contratos fechados ou em andamento.
As condições de financiamento concedidas pela Caixa durante a ocasião foram as mesmas dadas no dia a dia pelo banco. No entanto, o diferencial estava no agrupamento dos agentes do setor imobiliário. "Aqui, reunimos em um mesmo ambiente as construtoras, as imobiliárias, há a possibilidade de simular os financiamentos, sair daqui com o negócio fechado, uma facilidade muito grande para o cliente", frisa o superintendente regional Leste Gaúcho da Caixa, Adilson Christovam.
O encontro contou com a oferta de mais de 10,9 mil imóveis, 7,5 mil novos e 3,4 mil usados, além de 31 construtoras e cerca de 70 imobiliárias e correspondentes imobiliários, distribuídos por estandes. Mais de 160 empregados do banco trabalharam para a realização do feirão na capital gaúcha neste ano. Para requerer o crédito para casa própria no feirão, o interessado precisava apenas levar documento de identidade, CPF e comprovante de renda.
O superintendente regional detalha que, em termos de oferta, foram apresentados imóveis de R$ 100 mil a R$ 3 milhões. O ticket médio das unidades comercializadas ficou por volta de R$ 200 mil. Os cliente podiam optar por imóveis na planta ou já concluídos, quanto a esses últimos empreendimentos, o consumidor tinha a alternativa de encaminhar uma proposta e posteriormente conhecer fisicamente a propriedade.
O gerente de vendas da MRV Engenharia, Leandro Jagmin, também considerou o movimento do feirão como bom. Somente na manhã de domingo, o estande da companhia atendeu mais de 50 pessoas. A empresa ofereceu empreendimentos de Porto Alegre a Novo Hamburgo, com um ticket médio de R$ 145 mil. De acordo com Jagmin, a procura e os perfis dos clientes foram muito variados.

Crise não espanta consumidores, que mantêm o mercado aquecido

Apesar das dificuldades econômicas e políticas pelas quais passa o Brasil, o setor imobiliário segue aquecido. O superintendente regional Leste Gaúcho da Caixa, Adilson Christovam, destaca que a primeira metade deste ano tem verificado um crescimento no mercado. Uma prova da tendência positiva é que o banco tem um orçamento de R$ 84 bilhões de financiamentos para essa área em 2017, R$ 3 bilhões a mais do que alcançou no ano passado.
O estudante e trabalhador autônomo Fernando Oliveira é um dos consumidores que resolveram ir ontem à Fiergs, durante o Feirão Caixa da Casa Própria, para avaliar as condições do mercado. "A expectativa não era comprar no feirão, mas ter uma ideia para o ano que vem", comenta. Uma situação que o possível comprador considerou positiva foi a possibilidade de incluir um terreno seu no negócio. Oliveira admite que a crise que afeta o País gera receio na hora de fazer gastos, contudo ele vê a aquisição de um imóvel como um investimento válido.
Além de Porto Alegre, outras 10 cidades sediaram feirões da Caixa pelo País entre sexta-feira e domingo. Também houve eventos em São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Campinas (SP), Belém (PA), Florianópolis (SC), Belo Horizonte (MG), Recife (PE), Salvador (BA), Goiânia (GO) e Uberlândia (MG).
No total, foram oferecidos mais de 202 mil imóveis em todas modalidades e linhas de crédito. De 23 a 25 de junho, o evento chegará a Brasília (DF), Fortaleza (CE) e Curitiba (PR).

Melnick Even Day movimenta mais de R$ 100 milhões

Empresa fez mais de 400 atendimentos na 6ª edição da promoção

Empresa fez mais de 400 atendimentos na 6ª edição da promoção


MARCO QUINTANA/MARCO QUINTANA/JC
Não foi somente o Feirão da Caixa que aqueceu o segmento imobiliário em Porto Alegre nesse fim de semana. No sábado, houve a 6ª edição do Melnick Even Day, realizado na sede da companhia, na rua Carlos Trein Filho, 551. Os números finais de desempenho ainda não foram fechados. Contudo, o diretor da Melnick Even, Juliano Melnick, adianta que será ultrapassado com folga o patamar dos R$ 100 milhões em vendas.
O executivo aponta o resultado como muito bom, considerando o tempo ruim e a turbulência política vivida atualmente no País. O evento iniciou às 7h da manhã e estendeu-se pela noite. Com a iniciativa, a empresa fez mais de 400 atendimentos. O diretor ressalta que o Melnick Even Day já pode ser considerado uma ação consolidada dentro do mercado imobiliário do Rio Grande do Sul. "É como se fosse um quinto trimestre (em comercialização) do ano para nós", compara.
Durante o evento, a construtora ofertou mais de mil unidades residenciais, comerciais e terrenos, com até 36% de desconto à vista. Foram disponibilizados empreendimentos em 22 bairros de Porto Alegre, Eldorado do Sul, Canoas e Litoral. Nessa edição, a empresa aceitou imóveis como parte do pagamento.
De acordo com o executivo, a maioria dos consumidores que participaram do Melnick Even Day procurava imóveis com a motivação de usos residencial ou comercial. No entanto, também foi possível observar clientes que ainda buscam empreendimentos com o objetivo de fazer um investimento e lucrar mais adiante com a venda da unidade.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia