Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 25 de maio de 2017. Atualizado às 20h25.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 25/05 às 20h27min

Em Nova Iorque, dólar avança ante iene e moedas ligadas ao petróleo

O dólar recuou nesta quinta-feira (25), ante o euro, mas se valorizou na comparação com o iene e moedas de países cujas economias estão associadas ao petróleo, em um dia de forte queda da commodity, que foi pressionada pela frustração dos investidores com uma reunião da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep).
No fim da tarde em Nova Iorque, o dólar avançou para 111,82 ienes, de 111,65 na tarde de ontem; o euro subiu para US$ 1,1212, de US$ 1,1218; e a libra avançou para US$ 1,2945, de US$ 1,2961.
Entre as moedas de países emergentes e/ou ligadas ao petróleo, a divisa americana recuou para 1,3477 dólares canadenses; baixou para 56,872 rublos russos, e caiu para 18,5316 pesos mexicanos.
Os preços globais de petróleo caíram cerca de 4% hoje, mesmo com a renovação do acordo da Opep para estender os cortes de produção até março de 2018. A decisão, no entanto, já era esperada pelos economistas, que tiveram frustradas as esperanças de medidas mais ousadas.
Além disso, os participantes do mercado ainda digerem a ata da última reunião de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos), divulgada ontem, que mostrou preocupação dos dirigentes do BC sobre a fraqueza dos números de inflação e outros dados econômicos, o que pode adiar uma elevação das taxas de juros no país.
Expectativas de juros maiores tendem a fortalecer o dólar, uma vez que a moeda fica mais atrativa para investidores em busca de investimentos.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia