Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 26 de maio de 2017. Atualizado às 00h41.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Agronegócios

Notícia da edição impressa de 26/05/2017. Alterada em 25/05 às 23h13min

Expoleite incentiva o consumo de lácteos

Pub do Queijo foi montado pelo Sindilat para atrair os visitantes

Pub do Queijo foi montado pelo Sindilat para atrair os visitantes


MARCO QUINTANA/MARCO QUINTANA/JC
Carolina Hickmann
Remodelada, a 40ª Expoleite passou a dispor de atrativos voltados a incentivar a compra de produtos da cadeia láctea. De acordo com o Sindicato da Indústria de Laticínios e Produtos Derivados (Sindilat), o gargalo do setor é, exatamente, o consumo.
Com isso em mente, a entidade organizou o Pub do Queijo, no restaurante da Farsul, voltado à promoção das identidades de marca e à diferenciação destes produtos derivados do leite através da degustação. "Por mais que tenhamos o mesmo tipo de queijo, cada marca tem o seu sabor", comenta o secretário executivo do sindicato, Darlan Palharini. Em sua avaliação, o importante para a indústria é encontrar maneiras de tornar a cadeia cada vez mais estável após um ano de economia e preços atípicos.
Na avaliação do Sindilat, uma política industrial de incentivo a queijos e produtos de alto valor agregado culminaria na estabilidade necessária ao setor, que sofreu fortes oscilações de preço em seus commodities em 2016. Segundo Palharini, a maior venda de produtos finais com valor agregado mais elevado permitiria não somente o giro de maiores valores no segmento, mas também incentivaria a produção de itens com maior vida útil nas prateleiras dos supermercados, como os queijos, na comparação com o leite longa vida. No momento, cerca de 80% da produção gaúcha tem baixo valor agregado, em formato de leite longa vida e em pó.
Segundo o presidente do Sindilat e diretor da cooperativa Santa Clara, Alexandre Guerra, os produtores de leite estão recebendo os valores adequados para a produção desde o início do ano - após um período de oscilações de preço no ano passado. A indústria, por outro lado, não sentiu aumento no consumo, mas, ao mesmo tempo, não pode repassar ao consumidor o aumento pago ao produtor.

Campeãs de ordenha são premiadas

Expoleite/Fenasul no Parque de Exposições Assis Brasil.
Na foto : Banho de leite dos proprietários dos animais vencedores.


MARCO QUINTANA/JC
Os vencedores do concurso leiteiro, realizado durante a 40ª Expoleite/Fenasul, foram anunciados na tarde de quinta-feira, com o tradicional banho de leite aos produtores. A grande vencedora da categoria adulta foi a vaca Festleite P. Ferraboli 266 Damasco, da cabanha Ferraboli, de Anta Gorda, ao produzir 73,34 quilos em cinco ordenhas com oito horas de distância. A ganhadora da categoria jovem, a vaca Fini Braxton
Jitske 4071, da cabanha Wallauer, de Salvador do Sul, produziu 63,55 quilos com os mesmos parâmetros de captação.
 

Técnicos orientam sobre mudanças no Programa de Brucelose e Tuberculose

O Sindicato dos Médicos Veterinários no Estado do Rio Grande do Sul (Simvet-RS) realizou, nesta quinta-feira, durante a Expoleite/Fenasul, a primeira reciclagem do Programa Nacional de Controle e Erradicação da Brucelose e Tuberculose Bovina e Bubalina. A iniciativa, que contou com a parceria do Ministério da Agricultura e da Secretaria da Agricultura do Estado, se deve à atualização do regulamento técnico do programa pelo governo federal. O evento ocorreu no auditório da Secretaria Estadual da Agricultura no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio.
Segundo a presidente do Simvet-RS, Angelica Zollin, a inclusão de novos aspectos técnicos tornou necessária esta reciclagem para evitar que os médicos veterinários infrinjam regras. Angelica ressaltou a importância em entender e aplicar as mudanças previstas na Instrução Normativa nº 19 de outubro de 2016. "A não conformidade com as novas regras pode acarretar em problemas no trabalho dos médicos veterinários", observa.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia