Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 24 de maio de 2017. Atualizado às 16h59.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

VAREJO

Alterada em 24/05 às 17h06min

IPO do Carrefour Brasil prevê oferta primária e secundária

A oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) do Carrefour Brasil prevê distribuição primária e secundária conforme prospecto preliminar protocolado na Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Uma parte dos recursos irá para o caixa da empresa e outra parte das ações vendidas serão as que hoje estão em posse dos atuais acionistas. Figuram como acionistas vendedores o grupo Carrefour na França e a Península, empresa de investimentos do empresário Abilio Diniz.
Os recursos da oferta primária, segundo informa o prospecto, serão destinados a pagamento de mútuos intercompany. O documento cita ainda a destinação de recursos para liquidação de posições de swap detidas pelo Carrefour Brasil com o objetivo de mitigar a exposição cambial relacionada aos mútuos intercompany. Além disso, parte dos recursos será destinada ao reforço de capital de giro.
O Carrefour Brasil informou que possui contratos de empréstimos ou adiantamentos em favor de Carrefour Finance, mas os montantes também não foram divulgados no prospecto preliminar.
Os recursos da oferta secundária irão para os acionistas vendedores Carrefour S.A., Carrefour Nederland B.V e Península II Fundo de Investimento em Participações. A oferta tem como coordenador líder o Itaú BBA. São coordenadores da oferta ainda o BofA Merrill Lynch, o Goldman Sachs, o JPMorgan, o Bradesco BBI e o Santander.
O prospecto preliminar ainda não traz uma faixa indicativa de preço para as ações ou quanto a companhia poderia captar, mas, conforme apurou o Broadcast (serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado) junto a fontes, a rede varejista quer captar entre R$ 8 bilhões e R$ 10 bilhões. Segundo as fontes, a empresa quer sua ação precificada até o dia 15 de julho.
As ações do Carrefour Brasil serão listadas no Novo Mercado, segmento mais elevado de governança corporativa da B3.
Ao final de março, o Carrefour tinha no País 576 pontos de venda, conforme informa o prospecto. A maior parte das unidades é da rede de "atacarejo" Atacadão, com 160 lojas. Há ainda 102 hipermercados, além de supermercados, drogarias, postos de combustível e lojas de conveniência. No primeiro trimestre de 2017, a companhia apurou receita líquida de R$ 11,878 bilhões, alta de 7,2% na comparação com igual período do ano anterior.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia