Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 23 de maio de 2017. Atualizado às 18h49.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 23/05 às 18h54min

Bolsas de Nova Iorque fecham em alta, em dia positivo para ações de bancos

As bolsas de Nova Iorque fecharam em alta nesta terça-feira (23), impulsionadas pelo avanço dos papéis de companhias do setor financeiro. Com isso, os índices de Wall Street tiveram a quarta sessão consecutiva de ganhos.
Os índice Dow Jones fechou em alta de 0,21%, em 20.937,91 pontos, o Nasdaq subiu 0,08%, a 6.138,71 pontos, e o S&P 500 teve ganho de 0,18%, para 2.398,42 pontos.
As ações dos EUA têm se mostrado resistentes nos últimos meses, apesar das preocupações de que o governo do presidente Donald Trump possa enfrentar dificuldades para aprovar as mudanças políticas que almeja, como cortes de impostos e estímulos fiscais.
Uma temporada de balanços fortes e uma economia em grande medida estável ajudam a manter os índices em patamar forte, segundo investidores e analistas, mesmo com a incerteza sobre a escala e o ritmo das reformas econômicas no país.
"Sim, nós temos certo ruído político, mas os fundamentos das companhias continuam a dar muito apoio", comentou Jean Medecin, membro do comitê de investimentos do banco de investimentos Carmignac.
As ações do setor financeiro do S&P 500 avançaram hoje, junto com os retornos dos Treasuries. Morgan Stanley subiu 1,8% e Goldman Sachs teve alta de 1,7%.
Já os papéis de consumo discricionário recuaram 0,4% entre os integrantes do S&P 500, diante de baixas nas companhias de partes de automóveis. A ação da AutoZone caiu 12%, após a companhia registrar forte queda em suas vendas e receitas em mesmas lojas, com números piores que o esperado pelos analistas. A ação da Advance Auto Parts teve baixa de 4,6%.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia