Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 22 de maio de 2017. Atualizado às 10h20.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

22/05/2017 - 10h26min. Alterada em 22/05 às 10h26min

Taxas futuras de juros sobem com dólar em meio à aversão a risco político

Os juros futuros operam em alta desde o início da sessão desta segunda-feira (22) na esteira do dólar, refletindo a aversão ao risco com a crise política. Além de nove pedidos de impedimento do presidente em tramitação no Congresso, a OAB vai entrar com pedido de impeachment de Temer até quarta-feira (24), mesmo se o STF decidir, no mesmo dia, anular o inquérito aberto na semana passada, segundo o presidente nacional da OAB, Claudio Lamachia.
Segundo um operador de renda fixa, se não fossem os leilões de títulos do Tesouro e de swap cambial do Banco Central, a situação hoje "seria pior". "Todas as reformas paradas, pode haver fuga de capital e é capaz de o BC não cortar juros no fim do mês por conta disso", comentou o operador, pedindo anonimato.
Às 9h42min desta segunda, o DI para janeiro de 2018 estava em 9,755% na mínima, ante máxima de 9,950%, de 9,670% no ajuste de sexta-feira. O DI para janeiro de 2019 marcava 10,12% (máxima de 10,50%), de 9,97%. O vencimento para janeiro de 2021 estava a 11,39% (máxima de 11,69%), de 11,17% no ajuste anterior.
O dólar à vista estava em alta de 1,00% neste mesmo horário, aos R$ 3,2845. O dólar para junho subia 0,92%, aos R$ 3,2935.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia