Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 17 de maio de 2017. Atualizado às 22h41.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 17/05 às 22h46min

ADR da Petrobras despenca 11% no after hours da Bolsa de Nova Iorque

A Petrobras opera em forte queda no mercado after hours da Bolsa de Valores de Nova Iorque (NYSE), indicando que a quinta-feira (18), deve ser um dia ruim para ativos brasileiros em Wall Street. Um dos American Depositary Receipt (ADR), recibo que representa ações da companhia brasileira, da petroleira despencava 11,1% por volta das 22h20. O comportamento do papel ao longo do dia mostra que o ADR começou recuar com força no início da noite, quando saiu a notícia de que o dono do frigorífico JBS, Joesley Batista, gravou o presidente Michel Temer pedindo a compra do silêncio do deputado Eduardo Cunha.
Entre outros ADRs de empresas brasileiras listadas em Nova York o papel da Vale recuava 7,14% e o do Itaú cedia 7,42% no after hours. Ainda entre os principais ativos ligados ao mercado brasileiro, o EWZ, como é conhecido o maior fundo de índice (ETF, na sigla em inglês) ligado ao Brasil nos Estados Unidos, despencava 11,28%. Outro ETF do país, o Direxion Daily Brazil Bull perdia 10%.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia