Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 15 de maio de 2017. Atualizado às 23h23.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Agronegócios

Notícia da edição impressa de 16/05/2017. Alterada em 15/05 às 20h41min

Preço pago pelo quilo do suíno vivo cai para R$ 3,90 no Estado

Na produção integrada de animais, o valor médio ficou em R$ 3,23

Na produção integrada de animais, o valor médio ficou em R$ 3,23


/ANDRÉ Netto/ARQUIVO/JC
A pesquisa semanal da cotação de suíno, milho e farelo de soja no Rio Grande do Sul, feita ontem pela Associação de Criadores de Suínos (Acsurs), apontou queda de R$ 0,02 no preço pago pelo quilo do suíno vivo ao produtor independente no Estado, ficando em R$ 3,90.
O valor da saca de 60 quilos do milho aumentou, passando para R$ 26,00 (na semana anterior, estava em R$ 25,26). O farelo de soja também subiu, indo para R$ 980,00 no pagamento à vista (de R$ 970,00 há uma semana) e R$ 1.000,00 no pagamento com 30 dias de prazo (de valor anterior de R$ 990,00).
O preço médio do suíno agroindustrial (integrado) baixou para R$ 3,23. As cotações foram: Cotrel, R$ 3,20; Cosuel/Dália Alimentos, R$ 3,21; Cotrijuí, R$ 3,25; Cooperativa Languiru, R$ 3,24; Cooperativa Majestade, R$ 3,20; Ouro do Sul, R$ 3,50; Alibem, R$ 3,10; BRF, R$ 3,10; JBS, R$ 3,20; e Pamplona, R$ 3,30.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia