Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 10 de maio de 2017. Atualizado às 08h21.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 10/05 às 08h24min

À espera de Draghi, bolsas europeias operam pressionadas por balanços

As bolsas europeias operam pressionadas, reagindo à última leva de balanços corporativos e à espera de um discurso do presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi.
Ações do setor de materiais de construção tinham o pior desempenho nos negócios da manhã, após a alemã HeidelbergCement divulgar queda no lucro operacional do primeiro trimestre. Papéis do segmento de mídia também operavam no vermelho, depois de a emissora britânica ITV anunciar que sua receita diminuiu nos três primeiros meses do ano.
Por outro lado, o ING Groep, maior banco da Holanda, exibia alta de mais de 2,5%, após mostrar avanço no lucro subjacente do último trimestre.
Com a agenda europeia de indicadores esvaziada hoje, investidores ficarão atentos a um discurso que Draghi fará em Haia a partir das 8h (de Brasília). A expectativa é que Draghi dê sinais sobre a direção da política monetária.
Também está no radar da Europa a inesperada demissão ontem do diretor do FBI, James Comey, pelo presidente dos EUA, Donald Trump. A Casa Branca atribuiu a decisão à forma como Comey lidou com a questão dos e-mails da democrata Hillary Clinton.
Às 7h21 (de Brasília), as perdas eram majoritárias entre os principais mercados acionários europeus. Paris caía 0,12%, Frankfurt tinha baixa marginal de 0,03% e Madri perdia 0,41%. Já Milão recuava 0,14% e Lisboa tinha desvalorização de 0,90%. Exceção, Londres subia 0,24%. No mercado de câmbio, o euro se enfraquecia, negociado a US$ 1,0869, mas a libra esterlina ganhava força, cotada a US$ 1,2954.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia