Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 03 de maio de 2017. Atualizado às 10h05.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Taxas futuras de juros recuam com fraca produção industrial do País e dólar

Os juros futuros operam em baixa, reagindo à fraca produção industrial do País em março e ao recuo do dólar ante o real, segundo um operador de renda fixa. Estão no radar a votação do parecer da reforma da Previdência em comissão especial da Câmara na manhã desta quarta-feira (3), assim como a decisão de política monetária do Federal Reserve (o banco central norte-americano), à tarde.

A produção industrial caiu 1,8% em março ante fevereiro, pior do que o piso das expectativas dos analistas ouvidos pelo Projeções Broadcast (-1,70% a +0,50%). Em relação a março de 2016, a produção subiu 1,1%, ficando abaixo da mediana das estimativas (+2,10%).

Às 9h49min, o DI para janeiro de 2018 exibia 9,390%, de 9,440% no ajuste anterior. O DI para janeiro de 2019 estava em 9,28%, de 9,31%. Já o vencimento para janeiro de 2021 estava em 9,91%, de 9,92% no ajuste de terça. O dólar à vista recuava 0,28%, aos R$ 3,1468. O dólar futuro para junho caía 0,20%, aos R$ 3,170.

Nos EUA, o indicador de geração de empregos no setor privado veio bem perto da previsão, o que gerou reação modesta nos mercados internacionais. O setor privado do país criou 177 mil vagas em abril, segundo a ADP, levemente acima dos 175 mil esperados pelos analistas.

Os juros do Treasuries, que estavam nas mínimas antes dos dados, passaram a oscilar perto da estabilidade.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia