Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 02 de maio de 2017. Atualizado às 13h49.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

indústria

Alterada em 02/05 às 13h50min

Recuperação da indústria está aquém do previsto, mas já é realidade, diz ministro

A recuperação da indústria brasileira já é uma realidade, embora ainda esteja aquém das expectativas, afirmou nesta terça-feira (2) o ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), Marcos Pereira. "Estamos otimistas. A recuperação vem sendo feita. Não é o que nos esperávamos, não é o que a indústria esperava, mas ela já esta sendo uma realidade", declarou Pereira a jornalistas, durante a cerimônia de posse de servidores do Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI), no Rio.
Segundo ele, há uma melhora na atividade, mas o crescimento esperado virá a partir das reformas do governo em discussão no Congresso.
"Quando assumimos o governo, não havia perspectiva nenhuma de que a economia brasileira voltasse a crescer tão cedo. Havia uma perspectiva de continuação da recessão e do PIB decrescente. Agora já houve uma minimização no ano passado, quando para o PIB era previsto uma queda de 3,8% e caiu 3,3%, e neste ano já há previsão de crescimento. Não é o que gostaríamos. Mas para isso precisam ser feitas reformas estruturantes, que estão sendo feitas, e que nós acreditamos que vai retomar o crescimento", avaliou Pereira.
O ministro citou ainda as projeções do responsável pela pasta da Fazenda, Henrique Meirelles, que estima que a economia terá crescimento de aproximadamente 1% no ano de 2017, mas com aumento na velocidade de retomada no último trimestre. "Então, se a economia cresce, a indústria cresce. Precisa haver consumo para que a indústria possa produzir e consequentemente o varejo possa escoar essa produção", defendeu Pereira.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia