Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 01 de junho de 2017. Atualizado às 11h48.

Jornal do Comércio

Apoio:
Notícia da edição impressa de 01/06/2017.
Alterada em 01/06 às 11h48min
COMENTAR | CORRIGIR

GetNet: o bom filho retorna a casa

Cristian Mairesse Cavalheiro, da GetNet, foi um dos debatedores na Federasul

Cristian Mairesse Cavalheiro, da GetNet, foi um dos debatedores na Federasul


MARCELO G. RIBEIRO/JC
A GetNet inaugura, no dia 8 de junho, no estilo low profile, a sua operação no Tecnopuc. É uma volta para casa. A empresa já esteve no parque tecnológico da Pucrs em 2004, onde ficou por um tempo, mas saiu para não perder a sua mão de obra para as multinacionais ali instaladas. Agora que é gigante - foi comprada e se tornou a empresa de tecnologia do grupo Santander -, quer reforçar as suas ações de inovação neste ambiente. O espaço tem 500 m2 e abrigará de 70 a 80 pessoas. A meta é acelerar a inovação. "Teremos 10 mesas ágeis, cada uma reunindo um time de profissionais focados no desenvolvimento de projetos específicos e conectados com as outras sedes por videoconferência", explica o vice-presidente de tecnologia da GetNet, Cristian Mairesse Cavalheiro. A companhia oferece soluções de pagamento em múltiplos meios de captura. Em 2016, realizou mais de 1,7 bilhão de transações e mantém operações em Campo Bom, Porto Alegre, São Paulo e Recife. Este modelo de negócios do Santander e da GetNet, que une uma instituição financeira tradicional e uma empresa de tecnologia com ritmo de startup, foi um dos cases apresentados ontem no Tá na Mesa, da Federasul. O encontro reuniu ainda o presidente da StartSe, Pedro Englert, e o vice-presidente de finanças da Loggi, Greg Balasko. A mediação foi desta colunista.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia

Patricia Knebel

Ecossistemas de inovação, tendências globais para os negócios, marketing digital, as tecnologias que são os pilares da transformação digital (como mobilidade, Internet das Coisas e Big Data) e todas as novidades que impactam o comportamento dos consumidores e o futuro das empresas e das cidades estão na coluna Mercado Digital. Estou feliz por você estar aqui.