Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 02 de junho de 2017. Atualizado às 17h44.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Carlos Pires de Miranda

Gastronomia

homem na cozinha

Notícia da edição impressa de 02/06/2017. Alterada em 02/06 às 17h46min

Contra chuva, frio e o que mais vier

ALJ CLUB GOURMET/DIVULGAÇÃO/JC
O jantar de maio do Juvenil Club Gourmet privilegiou a culinária mexicana. Cozinharam os confrades Gustavo Diefenthaler, João Miguel Veiga e Jorge Hias. O prato principal foi o que está na foto, adequadíssimo a combater o que o clima gaúcho vem nos oferecendo neste outono. O melhor é que os ingredientes costumam estar na despensa e na geladeira - provavelmente, em alguma madrugada, já aplaquei a fome com uma mistura bem parecida, a popular oquissobô. Vamos a ela, e não se preocupe com as quantidades, basta manter uma proporção que agrade seu paladar.
Feijoadinha mexicana
Ingredientes:
  • feijão vermelho cozido antes do ponto
  • carne moída
  • pimentões verde, vermelho e amarelo
  • passata ou purê de tomates
  • linguiça fina em rodelas
  • cebolinhas em conserva
  • óleo vegetal
  • alho e cebola.
  • páprica, louro, cominho e orégano
Modo de preparar:
1- Aquecer óleo e refogar cebola picada, alho amassado e carne moída. Adicionar linguiça, refogar mais um pouco, juntar passata de tomate e completar o cozimento com panela tampada.
2- Misturar feijão à carne, temperar com páprica, louro, cominho, orégano e completar o cozimento até os grãos ficarem macios, mas sem desmancharem.
3- Acrescentar pimentões, cortados em quadrados médios, cebolinhas em conserva e manter mais três minutos no fogo. Se o caldo resultar muito ralo, engrossar com farinha de trigo ou amido de milho, antes diluídos.
4- Servir acompanhado por arroz branco ou nachos, disponibilizando pimenta do reino ou Tabasco à mesa, para quem quiser reforçar o tempero.

via e-mail

Swan Bistro dvg swan bistro


SWAN BISTRÔ/DIVULGAÇÃO/JC
Mesmo a data caindo em uma segunda-feira, os restaurantes aguardam a habitual demanda para o Dia dos Namorados. No bistrô do Swan Tower, em Novo Hamburgo, o jantar irá privilegiar a culinária portuguesa, desde os pães do couvert até as sobremesas, O principal se poderá escolher entre bacalhau à Gomes de Sá com legumes, ou filé à portuguesa com batatas ao murro. Além da decoração temática, haverá sorteio de duas diárias na encantadora Sintra, no hotel da mesma rede. Somente 20 casais poderão participar. Reservas abertas: (51) 3553 2222.
Bolinhos de bacalhau. Há bons pela cidade, mas nenhum como os que mais eu aprecio: crespos, com as pontinhas das lascas de um legítimo gadus morhua sobressaindo do corpo do bolinho. E, obviamente, frito na hora - se é para comer fritura, não há outro jeito, do pastel às batatas.
Pois imaginem a decepção de Inácio Knapp e sua esposa ao revisitarem o famoso Box 32, em Florianópolis. Uma atendente tirou e serviu um chope com a indesejável espuma de sapo, enquanto os bolinhos, estocados, eram aquecidos em forno de micro-ondas! Pode?!
"O Box 32 não só mudou de lado, mudou de causa. Deixou de lado a qualidade e ficou de mãos dadas com a facilidade. Uma pena", conclui o leitor. Para quem não conheceu o Luiz Alberto, barzinho da avenida Cristóvão Colombo, o dono era o pai de Inácio. E um dos garçons era o Vitor, depois sócio do Benê no restaurante Grumete, em frente ao Floresta Negra, todos eles falecidos.
Conheci a chef Belen Ruiz Montava em almoço que preparou, na residência oficial do cônsul-geral da Espanha em Porto Alegre. Valenciana, ela afirma que a paella surgiu em sua terra, às margens do Mediterrâneo, onde é associada à refeição dominical. Belen vai ensinar tudo sobre paellas no dia 13, no Instituto Ling. Informe-se: www.belenmontava.es.

Prosperidade gastronômica

chefs e chefs

chefs e chefs


ESPAÇO PURO/DIVULGAÇÃO/JC
No século passado, periodicamente, eu passava alguns dias em Buenos Aires e especialmente em São Paulo, almoçando e jantando em restaurantes de alto padrão, algo raro por aqui. Hoje, talvez pudesse ir mais perto: Curitiba tem crescido muito também na gastronomia, enquanto Porto Alegre ainda se sustenta em meia dúzia de endereços, que insistem em sobreviver à indigência generalizada de que padecemos.
A última da capital paranaense: o chef Paco Roncero (duas estrelas Michelin) e o NH Hotel Group inauguraram, no dia 26, a unidade brasileira do restaurante Estado Puro, no complexo The Five East Batel. A proposta é reinterpretar a cozinha espanhola, desde a mais alta e tradicional gastronomia até as popularíssimas tapas - croquetes de jamón ou de cogumelos, polvo galego, miniburguer de vitela com maionese de mostarda, tempurá de aspargos com molho romesco são bons exemplos.
O espanhol Paco Roncero (foto) é chef executivo e diretor do NH Collection Casino, de Madri, e de seu restaurante, La Terranza del Casino, além dos bares de tapas Estado Puro (Madri), Estado Puro (Xangai), La Canica (México), Versión Original (Bogotá), Pata Negra (Colombia) e Sublimotion (Ibiza). Agora, Curitiba integra seu badalado roteiro.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia