Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sábado, 29 de abril de 2017. Atualizado às 10h02.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Governo Federal

Alterada em 29/04 às 10h05min

'Quero ser conhecido como o presidente das grandes reformas', diz Temer

Entrevista de Temer (e) ao apresentador Ratinho (d) foi ao ar nesta sexta-feira

Entrevista de Temer (e) ao apresentador Ratinho (d) foi ao ar nesta sexta-feira


Marcos Corrêa/PR/Divulgação/JC
O presidente da República, Michel Temer, voltou a defender a reforma trabalhista, aprovada nesta semana na Câmara dos Deputados. "Vai dar maior segurança jurídica para o empregador e o empregado. Estamos fazendo isso para reformar o Brasil e gerar emprego", disse em entrevista ao Programa do Ratinho, do SBT, gravada durante a semana e veiculada na noite desta sexta-feira (29).
Indagado sobre o fim do imposto sindical, Temer desconversou. "Não entrei nessa história, quando remetemos o projeto de reforma, não tocamos no assunto. Isso foi acordado entre patrões e empregados. Não cogitamos imposto sindical, mas lá no Congresso pediram a eliminação, que será debatida."
Para o presidente, "o povo quer política de resultados". "Se o teto dos gastos der certo com a reforma da Previdência, e o emprego voltar, isso é resultado", avaliou. Para ele, "o emprego volta quando completarmos as reformas da Previdência e trabalhista". "Quero ser conhecido como o presidente que melhorou as condições econômicas, que fez as grandes reformas, que permitiu que os próximos governos não encontrem o País como encontramos", concluiu.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia