Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 18 de abril de 2017. Atualizado às 23h49.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

assembleia legislativa

Notícia da edição impressa de 19/04/2017. Alterada em 18/04 às 21h18min

Deputados querem mobilizar população contra plebiscito

Frente Parlamentar em Defesa da CEEE, CRM e Sulgás realiza audiência pública no Teatro Dante Barone da Assembleia Legislativa

Frente Parlamentar em Defesa da CEEE, CRM e Sulgás realiza audiência pública no Teatro Dante Barone da Assembleia Legislativa


MARIANA CARLESSO/MARIANA CARLESSO/JC
As três frentes parlamentares instituídas na Assembleia Legislativa em defesa das companhias Estadual de Energia Elétrica (CEEE), Riograndense de Mineração (CRM) e de Gás do Rio Grande do Sul (Sulgás) realizaram ontem uma audiência pública contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) nº 259/2016, que quer tirar a obrigação de realizar plebiscito para venda ou federalização das estatais. Segundo Ciro Simoni (PDT), responsável pela frente em defesa da CEEE, "o governo não tem votos suficientes nem para colocar esse projeto em votação". Contudo o parlamentar lembra que, mesmo sem a previsão de aprovar a PEC 259, o governo pretende chamar plebiscito para que a população decida se aceita a privatização das companhias. "Nosso objetivo é fazer com que a mobilização seja ampliada", disse. Também participaram do ato Juliana Brizola (PDT) e Luis Augusto Lara (PTB), das frentes em defesa da Sulgás e CRM.
 
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia