Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 18 de abril de 2017. Atualizado às 14h23.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Reforma da Previdência

18/04/2017 - 12h16min. Alterada em 18/04 às 14h28min

Reforma pode ter idade mínima de 62 anos para mulher se aposentar

Proposta que reduz de 65 a 62 anos ainda pode ser alterada e será apresentada nesta quarta

Proposta que reduz de 65 a 62 anos ainda pode ser alterada e será apresentada nesta quarta


JONATHAN HECKLER/JC
Agência Brasil
O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles disse nesta terça-feira (18) que o projeto de Reforma da Previdência trará uma diferenciação na idade mínima de aposentadoria para homens e mulheres. "Não há definição ainda, na medida em que o relatório será apresentado amanhã (19), mas a visão do relator é algo que se situa ao redor de 62 anos (para as mulheres; 65 anos para os homens)", disse.
Meirelles esteve reunido hoje, no Palácio da Alvorada, com o presidente Michel Temer, outros ministros e deputados da base aliada do governo. Segundo ele, as mudanças que estão sendo negociadas com o Congresso são necessárias para viabilizar a aprovação de um projeto que assegure a eficiência e eficácia fiscal da reforma. Disse, ainda, que todas as mudanças já estão precificadas e o governo espera que a reforma se aproxime 80% da proposta original.
"Portanto, é uma reforma que está dentro dos parâmetros que nós definimos como importante para que o equilíbrio fiscal do país seja restabelecido e, portanto, a negociação é da maior relevância", disse.
Segundo o ministro da Fazenda, o projeto está sendo negociado para atender também os interesses dos senadores e a expectativa é que não haja grandes modificações no texto durante a tramitação no Senado. "O relatório não está pronto. Hoje é uma parte importante do processo de discussão".
Após o café da manhã hoje no Palácio da Alvorada, o deputado Paulo Pereira (SD-SP) criticou a idade mínima para aposentadoria e defendeu que as negociações em torno desse ponto continuem.
"Em relação à aposentadoria, a cada dois anos cresce onze meses para as mulheres e dois anos para os homens até chegar aos 62 anos para as mulheres e 65 anos para os homens. Acho que o governo tem que continuar negociando para melhorar essa fórmula. Considero que 62 anos para mulheres é muito alto ainda e 65 para homens é inaceitável", disse.
O ministro da Secretaria Geral de Governo, Antonio Imbassahy, disse que, com as alterações acordadas entre o governo e o relator, aumentou a disposição dos parlamentares em aprovar a reforma. "Pelo que a gente pode perceber, o ambiente modificou bastante, há realmente uma expectativa favorável para a aprovação da reforma da Previdência", disse o ministro.
O presidente Michel Temer também se reúne hoje com os líderes da base aliada no Senado.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia