Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 09 de abril de 2017. Atualizado às 20h29.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

estados unidos

Alterada em 09/04 às 20h31min

Assessora nacional de segurança do governo Trump deixa o cargo

A assessora nacional de segurança dos Estados Unidos, Kathleen "K.T." McFarland, está deixando a Casa Branca, segundo uma fonte do governo. Esta é a última de uma série de mudanças no Conselho de Segurança Nacional do governo Trump.
McFarland, ex-analista de segurança nacional da Fox News, recebeu o cargo de embaixadora em Cingapura, disse a autoridade. Ela queria o emprego em Cingapura, disse a funcionária, negando que ela estava sendo expulsa e chamando-a de "uma promoção".
Ela foi escolhida para o cargo em novembro, logo após a eleição de Donald Trump. "Ela tem uma tremenda experiência e talento inato que complementará a equipe fantástica que estamos montando", disse o presidente eleito. Na época, McFarland disse que "ninguém entende melhor de política externa que Trump, e ele não recebe crédito por isso."
Mas sua posição começou a ficar difícil depois que o primeiro conselheiro de segurança nacional, Michael Flynn, renunciou em fevereiro, por conta de declarações conflitantes sobre seus contatos com o embaixador russo, Sergey Kislyak, antes da posse de Trump.
Pelo menos um candidato para suceder Flynn, o vice-almirante aposentado Bob Harward, queria substituir um número de altos funcionários do Conselho de Segurança, incluindo McFarland, mas ele encontrou resistência da Casa Branca. O almirante Harward acabou recusando o trabalho.
O tenente-general H. R. McMaster, funcionário ativo do Exército que ganhou o cargo de conselheiro de segurança nacional, não se decidiu por um substituto, e pode escolher duas pessoas com papéis diferentes para servir como assessores, disse o oficial. É provável que Dina Powell, uma executiva do Goldman Sachs que atualmente é assessora sênior de iniciativas econômicas do presidente, assuma o cargo, já que tem experiência no conselho de segurança.
As notícias da saída de McFarland chegaram poucos dias depois que o principal estrategista de Trump, Steve Bannon, foi retirado do comitê de diretores do Conselho de Segurança Nacional. Ao mesmo tempo, o presidente do Estado-Maior das Forças Armadas dos EUA e o diretor de inteligência nacional foram restaurados como membros permanentes. Essas decisões foram tomadas pelo general McMaster com a aprovação do presidente.
McFarland trabalhou no Pentágono durante o governo Reagan e em 2006 disputou um assento no Senado dos Estados Unidos em Nova York, mas perdeu as primárias republicanas para o ex-prefeito de Yonkers, John Spencer. Spencer foi derrotado nas eleições gerais pela atual senadora Hillary Clinton, candidata democrata à presidência de 2016. Fonte: Dow Jones Newswires.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia